segunda-feira, 1 de outubro de 2007

Daqui em diante ou À chegada de outubro...

Daqui em diante
Serei no mínimo, inebriante
No máximo, intoxicante
Se não sorveres com moderação
Pois passado mais um turbilhão
Avizinham-se novamente
Ali logo em frente
As portas da percepção
Sem esperar nada dessa gente
Sigo contente
Reunindo os bons
Multiplicando os sons
E sorvendo a loucura
De quem desarmoniza os velhos tons
E transcende a negrura
A paisagem cinzenta
Dessa ordenação nojenta
Que faz da vida uma secura
Escura.. um vazio tormento
Onde só há cobiça e usura
Prefiro mudar a postura
Vestir novo ornamento

"Vê se me entende
Olha o meu sapato novo
Minha calça colorida
O meu novo way of life
Eu tô tão lindo
Porém bem mais perigoso
Aprendi a ficar quieto
E começar tudo de novo.."

A cada ciclo
Um novo começo
A cada versículo
Refaço o soneto
Se é um delírio
Eu o cometo
Se é um arbítrio
Trago-o de berço
Não faço martírio
Com o que não conheço
Prefiro sorvê-lo
Despir-me do medo
E seguir com a jornada
Mudar os ladrilhos da estrada
Para quem sejam cores variadas
Na trilha dos meus passos

"Não sei onde eu tô indo
Mas sei que eu tô no meu caminho
Enquanto você me critica
Eu tô no meu caminho
Desde aqueles tempos quando o resto da turma
Se juntava pra jogar bola
Eu pulava o muro com Zezinho no fundo
Do quintal da escola.."

Que venham os novos tempos
Com suas mudanças ininterruptas
Com sua rupturas abruptas
Aptas de vencer os comodismos intactos
Potencializar os impactos
Dos desafios que ostento
Que busco como incremento
De meus olhares plurais
Ver além das coisas banais
E saborear cada fugaz alimento
Que seja capaz de expandir o pensamento
Permita ver a cor do vento
Abarcar sempre mais
Molhar os dedos no mar
Sentado na beira do cais
Delirar por amar reinventar meu estar
E começar uma vez mais a nadar

"Vai, vai, vai..
E grita ao mundo que você está certo
Você aprendeu tudo enquanto estava mudo
Agora é necessário gritar e cantar rock
E demonstrar o teorema da vida
E os macetes do xadrez..
Você tem a resposta das perguntas
Resolveu a equações que não sabia
E já não tem mais nada o que fazer a não ser
Verdades e verdades
Mais verdades e verdades para me dizer
A declarar..."

13 comentários:

marta. disse...

sim, tens razão.

um beijo

Borboleta Endiabrada disse...

e outubro já chegou...

beijinhos endiabrados

Professorinha disse...

Palavras chave:
"Sem esperar nada dessa gente
Sigo contente"

É que tem mesmo que ser assim!!!

Fica bem

Condessa disse...

E assim, sois... inebriante nas palavras.
Beijo em ti, ardente!

CatWorld disse...

nem mais!
mas outubro a mim entristece-me!
beijoca!

Maria Muadié disse...

Salve, Jorge!
Adorei sua visita.

Joana Dalila Santos disse...

Viva Outubro

magie disse...

O começo de outubro... se fosse um texto meu, seria o começo de setembro! rsrsrsrsr...

Independente de qual mês nos referimos, temos algo em comum, nascemos na estação mais bela do ano, a primavera... e diga-se lá, somo librianos [se isto quer dizer alguma coisa].

Que outubro seja um mês tão intenso quanto tuas palavras.

Beijos

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Saravá!!


Cada vez gosto mais de te ler...

"Potencializar os impactos
Dos desafios que ostento
Que busco como incremento
De meus olhares plurais
Ver além das coisas banais
E saborear cada fugaz alimento
Que seja capaz de expandir o pensamento
Permita ver a cor do vento
Abarcar sempre mais
Molhar os dedos no mar
Sentado na beira do cais
Delirar por amar reinventar meu estar"

Salve tuas palavras....************

CARLA disse...

Eita....chegou mesmo...se bobiar daqui a pouco já é natal.
abracinhos

Patrícia Lino disse...

sempre, poeta.

Camilla. disse...

não precisas sover-me,
ou ver-me,
deixe que ela o faça,e faz.
minha mais nova.
não lembre-me do mar,esse bendito!
mal,mal.
lembre-me do céu,
é lá que estarei,com ela,minha aurora,ah mais nova!
que quero embebedar-me ...

Patrícia Lino disse...

preciso, Poeta. Preciso. Sabes que padeço, assim que palavra dela me foge, por entre mãos.

Não aguento.