terça-feira, 15 de outubro de 2019

Celebrar


Sigo
Consigo
Comigo
Com eles e elas
Criaturas singelas
Minhas aquarelas
Faunos e fadas
Dríades e gnomos
Isso é o que somos
No tropo e no nomos
Uma gente embalada
Que canta nunca mais eu vou dormir
Nunca mais eu vou dormir
Que de energia sabe se vestir
E quando o mundo quer nos consumir
Dança na enseada
Deixa a multidão maravilhada
Que não existe coisa mais sagrada
Que esticar as asas cansadas
E curtir a vertigem da queda
Por isso a gente se envereda
E pé não arreda
Até ser lenda
Até incendiar a tenda
Porquê a gente não remenda
A gente alarga a fenda
E não finda
Nossa arte ainda
É a expressão mais linda
A mais lida
A lira
Que delira
E que esse fauno que vos fala
Segue a tocar por aí...


quarta-feira, 2 de outubro de 2019

Carta para Hélio Lopes



Salve nego véio...
Aqui na terra tão jogando futebol
Tem muito samba, muito choro e rock´n roll
Uns dias chove, outros dias bate sol
Mas o que eu quero é te dizer que a coisa aqui tá preta
Um menino de 12 anos espancou e matou uma menina de 9 enforcada em São Paulo ontem...
Militarizaram a décima escola em Santa Maria ontem...
A Reforma da Previdência e a crueldade avançam sem pudor
Capaz que tudo desmontem
Sem qualquer penhor de igualdade
Tão rápido que tudo se vai
E a galera achando que a ficha ainda cai
Sendo que ficha não há
Quiçá
Algum despertar
Mas a gente segue a lutar
E a apanhar
Tem tantas horas
Todas as horas
Que eu queria com você estar
Desabafar
E saber que tem um pai lá pra me amparar
Mas só na memória que tem
No peito
Me ajeito e aceito
Feliz de ter tido esse alguém
O que eu mais tenho é aluno que não tem
Alguns não tem ninguém
A maioria tem é uma mãe sendo massacrada ininterruptamente além da compreensão de quem tem comida todo dia na geladeira
Tanta ladeira
Tanta lameira
Tanta beira
Tanta queda
Desculpa como a prosa se envereda
Mas pra tanta vereda
Tem muito sertão
Incerto
Viver é mesmo muito perigoso
E maldito seja o Bozo
E seus minions
Sua crueldade televisiva
Sua violência de privilegiados
Seu individualismo exacerbado
Tô cansado
Até quando ando pra frente
Olhando pros lados
Mas segue o repente
A gente sente
O tempo todo sua falta

sábado, 14 de setembro de 2019

Ar

Veio e foi
Véio fio
Vê, filho?
Véu fino
Céu findo
Seu fico
Soa fraco
Só, franco
Soprando
Ensopando
Insípido pano
Dissipando
Disse tanto
Disso nada
Disto e tarda
Dante arda
De antes da tarde
De amantes partes
Partes
Antes
Parto
Ar
És...

sexta-feira, 12 de julho de 2019

Espinha

É tanta dor
Que me marca
O interior
O mundo abarca
Já nem sinto as pernas
Parecem dores eternas
Mas também espasmos
Pasmo
Me falta a força
Por mais que minha coluna se retorça
Não há paz
Há sempre mais
Por doer
A me roer
Corroer
Acinzentar o prazer
Capaz de me perder
Se não há o que fazer
Nulos remédios
Como uma floresta de prédios
Indiferentes aos ipês
Todos os três
Todos vocês
Vãos
Rasgados
Passados
Partidos
Padecidos
Apartados...

quarta-feira, 12 de junho de 2019

Eu sei que não te mereço 
Que a gente tá longe do começo 
Que a vida parece do avesso
Mas entre alguns tropeços 
A gente sempre é feliz
Mesmo se não é sempre que a gente diz
Eu amo você imensamente 
Sou um bobo inconsequente 
Que fala o que sente
Que sempre pede que você tente 
Me amar mais um pouquinho
Pois é inigualável nosso ninho
Porque só serve o seu carinho
Porque mesmo entre espinhos 
Você é a flor do meu viver
Sem você eu não saberia ser
Você me cura quando estou a padecer
Você me lembra quando estou a esquecer
Que amar é fundamental para o nosso alvorecer
Daí que mesmo perdido
Tão indefinido
Entre tanto que foi vivido
É você que dá sentido 
Pra arte do meu caminho

sábado, 1 de junho de 2019

Carta para Hélio Lopes

Oi pai... como vai? Hoje, você faria 70. Que grande dia. Tão grandioso, que o Gustavo, seu neto, faz 1 ano. O Guto acertou em cheio nessa. Melhor presente possível. Tô aqui pensando como foi pra Dona Hilda e seu Valdemar receberem o segundo filho. Eu vou parar aqui pelo segundo mesmo... Com certeza, agora, eu estaria aqui te abraçando e agradecendo incondicionalmente pra você por tudo que você fez por mim e eu não sabia. Por mais que eu sentisse e tivesse vivido, eu não sabia. Um nível que só agora dá pra saber.
As noites em claro
O cuidado ininterrupto
A paciência
O afeto gratuito
A atenção
As brincadeiras
Os ensinamentos
As broncas
Os alimentos
A proteção
Por todas as vezes que você segurou minha mão
Por sempre que pediu paciência com meu irmão
Quando disse não
Por todos os sins
Por não ser perfeito
Pela luta
Pela história
Pela família
Pelo respeito
Pelo peito
Pelo jeito
Pelos "porra, negão"
Por toda essa incomensurável inspiração
Estaria chorando, como estou. Estaríamos, portanto, estamos. Só abraços salvam.
Nas ruas lutamos pela educação, pai. Por direitos humanos. Pelo pouco que os muitos tem. Sempre mais do mesmo, mesmo que tantos pareçam a esmo. E estão. Mas lutamos porque não existe a tal da outra opção.
Ainda assim, meu peito dói. Só há poeira na imensidão.
São tempo difíceis. Mas são sempre tempos difíceis para os sonhadores, não é mesmo? Eles militarizam escolas e atacam liberdades, reforçam o projeto de impedir a educação de funcionar. Eu sigo aprendendo e ensinando com a molecada.
Ah... minha tese de doutorado sobre o Recanto das Emas foi indicada pela pós da história ao prêmio de teses da CAPES na minha área. Fiquei bem feliz.
Ana está aqui curiando a carta para o vovô Hélio. Está a pessoa mais maravilhosa que a existência podia conceber. E chata. Geniosa. Cheia de ideias. Incrível.
João já pode ser oficialmente definido como gordo, porque ele já bota a própria comida toda na boca e pede a sua. Ele é apertável e carinhoso, cheio de energia. Ele e o Gustavo vão formar uma dupla e tanto.
Acho que é isso, pai. Certo que haveria muito mais. Mas tal qual a saudade, não cabe na carta. Amo você.

quarta-feira, 24 de abril de 2019

Meu

No meu verbo
No meu verso
No meu verto
No meu ver-te
No meu verde
No meu ter-te
No meu torto
No meu porto
No meu parto
No meu farto
No meu fardo
No meu ardo
No meu ar
Dor

quarta-feira, 17 de abril de 2019

Trevos

Estamos acabados
Terminados
Findos
Obliterados
Anulados
Impedidos
Negados
Cancelados
Desfeitos
Moídos
Nos peitos
Nos jeitos
Nos aceitos
Nas seitas
No como se ajeita
Ao que não tem jeito
Em tudo que podia ter sido
Mas estamos vivos ainda...

sábado, 13 de abril de 2019

Tempo ou tem pó

Sossego
Só cego
Só cedo
Só lerdo
Se ergo
Envergo
Em verso
Inverso
Inverto
Pro seco
Pro cerco
Esterco
És terno
Eterno
Inferno....

terça-feira, 26 de março de 2019

Lua



Se somem os lábios
Se somam-se os lábios
Astrolábios
Alfarrábios
Aos homens larápios
Ou sábios
Assomas ao lábaro
À lavra
Ao largo
Sois astro

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Eu queria mesmo era uma orientadora educacional ou Porque eu não quero escolas militares...

Salve pessoas. Como vão? Espero que bem, embora eu ache difícil nos tempos atuais.
O que me traz até aqui é que descobri na última sexta-feira (11/01), por conta do anúncio do novo governador do DF Ibaneis Rocha, que minha escola, o CED 308 do Recanto das Emas, assim como outras três escolas da rede pública do DF serão espaços de um projeto da Secretaria de Segurança para disciplinar alunas e alunos através da MILITARIZAÇÃO. Você pode encontrar farto material informativo na imprensa com uma pesquisa rápida.
Os parâmetros que tenho sobre o funcionamento são os que circulam na imprensa: a parte disciplinar será cuidada por uma equipe de 20 a 25 policiais e/ou bombeiros militares fora da ativa, enquanto a parte pedagógica viverá pretensamente alheia a isso. Além disso, musicalização e orientações morais e cívicas serão trabalhadas no contra-turno. As alunas e alunos terão de usar fardas e professoras e professores usarão jalecos.

NÓS NÃO FOMOS CONSULTADOS.

Nós, professores do CED 308 do Recanto das Emas não fomos e não estamos sendo consultados. A comunidade não foi consultada.  Esse processo atropela o nosso Projeto Político Pedagógico e FERE A AUTONOMIA DE NOSSA ESCOLA.
Conversas estão sendo buscadas com sindicato, imprensa e contatos políticos para esclarecer as coisas.
Se você puder ajudar informando às pessoas que essas arbitrariedades violentas estão acontecendo, eu agradeço.
E sabe o que é pior... eu voltei pra escola após o doutorado no começo do ano. Minha escola não tem mais orientadora pedagógica. Faz uma falta incomensurável todo dia. Queriam fechar a Sala de Recurso, que atende cerca de 15 alunos com necessidades especiais na minha escola. A melhor professora de português da minha escola (a melhor que eu conheço) fez o concurso de remoção e não estará esse ano.

EU NÃO PRECISO DE MILITARES PARA DISCIPLINAR MINHAS ALUNAS E ALUNOS. EU PRECISO DE ORIENTADORAS, COORDENADORES, PROFESSORAS.

Se a minha escola receber 20 pedagogas, indubitavelmente haverá melhora da experiência escolar, inclusive no aspecto disciplinar.
Minha escola convive com notas baixas do IDEB há anos, com queda inclusive, e está localizada em uma área de periferia com problemas infindáveis de violência cotidiana. É verdade.
Isso não vai resolver o meu problema e de quem estuda comigo, que estou nessa escola há 9 anos.

GOVERNADOR, NOS FORNEÇA 20 PROFISSIONAIS DA ÁREA DE EDUCAÇÃO, INSTRUMENTOS PARA A MUSICALIZAÇÃO, 200 MIL ANUAIS EM INVESTIMENTOS E TEREMOS RESULTADO MELHOR QUE O DAS ESCOLAS MILITARIZADAS.

Honestamente, Jorge Santos, professor.