quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Ao aniversário do Capela ou Minha contribuição musical...

Foi com o surgimento do Capela
Bar de minha adoração
Que fundou-se bravia tradição
Fazer dali palco da música
Pra todo tipo de celebração
Para temperar as ebriedades
E também nossas seqüelas
Abriu as portas esse Capela
Templo das festividades
Há diversas formas de musicalidade
Nem que fosse na palma da mão
Fosse um samba de primeira
Em plena terça-feira
Com gente pelo ladrão
Ou ainda um arrasta pé danado
De deixar vizinho indignado
Enquanto ferve o Gonzagão
Sempre tinha Raulzito
Rock de todo tipo
Inclusive som esquisito
Que só ali pra se ouvir
Coisas difíceis de definir
Mas boa de puxar um pito
Mas vieram as leis e a burocracia
Dizer que ali não se permitiria
Esse tipo de anarquia
Que alvará e outras primazias
Iam acabar com a cantoria
E, vejam só, não haveria
Anarquia capaz de resistir
Mas com tanta loucura bela
Na parede do Capela
Imagina se a Jujuba ia desistir
Fez roda de samba, lançamento e festival
Aniversário, campeonato e concentração de Carnaval
Nunca deixou de insistir
Que a sonzera é fundamental
E por isso o Capela tem o caneco
Mesmo sem som cotidiano
De ser o grande buteco
Com o melhor som aqui do Plano...

8 comentários:

Lynn disse...

nossa, muito legal!!!
fiquei com vontade de fazer uma arte com a sua poesia pra colocar lá na parede do Capela =D

vamos ver.

muito legal ontem em su casa...

mas passei malllzzzz depois! bebi demasiado, como sempre....

mas hoje tou firme e forte!

beijos e boa sexta!

Intimo Misterio disse...

Bom fim semana querido Jorge.
Intimo Misterio

www.intimomistero.blogs.sapo.pt

R@Ser disse...

Que lindo hein!!!
Bjim querido poeta.

Maria Muadié disse...

Música é mágico. Vida, pura celebração.
bjo

CatWorld disse...

parabens!
bom fim de semana!
beijoca!

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Aniversário, campeonato e concentração de Carnaval.......

q inveja de coisa boa...

beijos muitos

R@Ser disse...

Olá querido,passando pra te desejar um ótimo Domingo.
Bjim

Dhyana disse...

Isto lembrou-me um poema cantado que escrevi à propósito de um jantar com uns amigos. Assim a modos que brejeiro.
Mais um bocadinho cantava ;)
Beijos..
ps: Adorei o poema "pélvico" que deixaste no Templo.