quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Cassandra ou um cigarro...

(Ela deliciava-se ouvindo The Doors. Ouvir Jim Morrison sempre lhe excitava os sentidos.) - Come on... come on.. come on, touch me baby.. can´t you see that i´m not afraid?.. What was that promess that you made.. (Soltou os cabelos desejosa de libertar-se dos arredores sufocantes.
Chamava-se Cassandra. E ali onde se refugiava, Cassandra era uma rainha. Fora dali era apenas Cassandra. Tinha um emprego mundano. Colegas apagados. Atribuições burocráticas. Espectativas insossas. Devaneios vãos.
Eu disse fútil? Perdo-me, quis dizer Cassandra, a grandiosa.. nã... não.. sinto muito.. eu.. euu.. a.. aahh...)

- Porco maldito e pretencioso. Deixe-me apenas prender o cabelo e abaixar esse barulho infernal. Maldito lugar quente. "Cassandra, a fútil".. ora vá pro inferno seu autorzinho de merda. E você aí, a concordar com isso, não é? Não pense que me engana.. sei como gente como você funciona.. fica daí do seu mundinho, concordando com o que é dado e simplificando toda a minha profundidade. Tudo bem, eu me chamo Cassandra.. mas já fui a preferida de Apolo.. a primeira entre suas sacerdotisas.. a maior profetisa.. filha de Príamo.. e veja só onde fui parar.. num bloguezinho de segunda categoria.. ao som de rock dos anos 70.. por favor.. à mercê de um pretenso fanfarrão de adjetivos. Eu era cantada pelos aedos.. depois pelos bardos.. e agora tenho de deixar a Terra das Quimeras para habitar esse conjunto de pouca significância. Esnobe eu? Por favor.. eu sou divina, ser ínfimo. Deveria ser eu a ler você fazendo tolices insignificantes no entremear de seus posicionamentos levianos. Hunf.. ao menos aqui posso fumar um cigarro.. ainda que tenha de tirar essa estupidez de filtro.. filtro.. filtram tudo e apreendem nada. Hunf.

- People are strange.. when you're a stranger, faces look ugly when you're alone.. women seem wicked, when you're unwanted, streets are uneven, when you're down.. When you're strange, faces come out of the rain.. when you're strange, no one remembers your name..

Eu já tive outros nomes. Assumi muitas roupagens. A gente tem de se virar pra sobreviver.. pelo menos sei que nunca vou morrer de câncer de pulmão. Um dia só não vão mais lembrar de mim.. niinguém vai mais me acionar e PUFT.. Cassandra, "a fútil", já não existe mais. Será bom poder ir perambular por outras cercanias.. claro que vou sentir saudades daqui. Não de vocês. Nem do dono de todo esse sangue malditamente gosmento e real. Vou sentir mais falta desse cigarro, posso te garantir. Desse prazer.. tão fulgaz, que é perfeito. É a ardência inigualável de matar algumas células. Elas explodem de prazer. Azar das que vão, sorte das que ficam. Nada como o prazer de capturar os desígnios da própria mortalidade.. isso é válido mesmo pra mim, com minha mortalidade muito mais complicada que a sua. Ahhhh, inferno... inferno.. inferno! Bom.. acho que está tudo resolvido por aqui e posso ir. Você também já devia ter voltado pra sua vidinha fútil... isso mesmo.. FÚTIL!!! F.. Ú.. T.. I.. L!!! Ei.. o que diabos.. larga isso.. nã.. e.. eu não quis dizer aquilo.. voc.. c.. a.. aahh... ...

...

18 comentários:

nenúfar disse...

serias digna de voltagem mil,
cassandra
se tudo de novo viesse
dançando no vento
rindo da chuva
cassandra
teu sonho se dispersa com as aves
leva-me contigo
serei teu escravo
ou dono
ou amigo.

Professorinha disse...

James Douglas Morrison... Aos anos que já não me lembrava dele... Voltei à minha adolescência... Ainda há letras que me tocam...

Fica bem

Martinha disse...

Só espero é que a Cassandra seja (ou tenha sido) feliz. *

Lais Mouriê disse...

Ótimo conto!!! Ao som de Mister Morrison, melhor ainda!

E ah, visite hoje meu post no blog mais perfumado da internet: Versos de Falópio.

http://versosdefalopio.blogspot.com

Som Do Silêncio disse...

Uma historia muito bem elaborada.

E ao som de Jim Morrison fica sempr bem...

Um Beijo Noturno

Mary disse...

Adorei teu blog.
Tens o dom da escrita tanto em verso qnto em prosa!

Bom feriado!

Salve, salve!

Maria Muadié disse...

People are strange...temos que nos acostumar.

Arte de Amar disse...

onde vais buscar essa imaginação???

Vem...
Que te espero... nua...
Não mais ha lugar para o pudor...

Vem...que te quero, nu...
Fecha-me os olhos com teus beijos,
faz-me sonhar com teus desejos...
Faça-me mulher com teu ardor...

Vem...
Que quero agora
acariciar teu corpo levemente,
beijar-te os lábios, sofregamente...
Sugar tua seiva com minha
boca quente...

Deixar-me penetrar por teu furor...
Vem...
que sou mulher,
te quero homem,
vem...
deixa-me viver esta fantasia
de amor...

Desejos de um fim de semana cheio de amor :)

Beijos
Arte de Amar
www.intimomisterio.blogs.sapo.pt

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Cassandra...existem tantas Cassandras..............

para mim um cigarro...;)

People are strange!!

beijossssssssss

R@Ser disse...

Olá delicia de pessoa,tdo bem?
Que historia hein!!!...será que a moça foi,é ou será feliz?...vamos torcer.
Bjim

AMMedeiros disse...

Uma boa narrativa na memória de uma excelente música.

Um beijo

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Desafio no meu blog;)

Deves ser Bom na Cama ...risos...

espero que aceites e te divirtas!

Lara disse...

Muito legal abrir um blog entra tanto e encontrar um texto realmente diferente!
Pobre Cassandra, no final das contas, poucos gostariam de ouvir a própria história como ela realmente é. :)

SAMANTHA ABREU disse...

puxa!
parabéns pela tua narrativa!


e obrigada pela visita ao Falópio, com comentários tão ricos!
Beijos!

M.C. disse...

Salve,


Excelente.
Aplausos!

(A)braços.

M.C

Maria Muadié disse...

chico science é...chico science! Mas gosto muito de escutar Mônica cantando.

Salve, Jorge!
Dizem por aí que ele protege a todos os brasilerios, imagine um chamdo Jorge!
beijos

magie disse...

Eu me sinto meio "Cassandra" hoje. Ah, The Doors!

Beijos.

ahnizos disse...

dei-me ao trabalho de pôr o "people are strange" a tocar no windows media player (confesso que quase entro em transe quando oiço the doors) para ler este post

e gostei
da "discussão"
da escrita
gostei ^^

até as insonias me sabem melhor ao ler estas coisas

*