quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Papos de irmão ou entre certo e errado...

Se estiver por perto
O que for certo
Te alerto
Melhor ficar esperto
Pois o dito metido a besta
E que logo atesta
Não aceita fresta
Nos muros da realidade
Vã ingenuidade
Dessa representação da modernidade

Mas estando à mão o errado
Diga-o profano de tão sagrado
Estarás muy bien acompanhado
Como que bailando num fado
De êxtase inebriante
Errar é gozar o instante
De quem padece mas segue avante
De ser infante não ter temor
Padecer mas com ardor
Se tropeço enquanto ando
É por só pensar em estar voando...

12 comentários:

' 2 + 2 = 5 ' disse...

É em ser aprendiz das quedas que se vive esta modernidade, quebrando o cenário que a define por regras.
É voando que as contornamos.

Belo texto :)
E obrigada pela atenção no meu blog. *

Cátia Margarida disse...

"Se tropeço enquanto ando
É por só pensar em estar voando..."

porra eu tropeço a toda a hora, tropeço mesmo. Sempre pensei que fosse desastrada ou distraída mas tens toda a razão, largo o chão nesses momentos e por isso vivo tropeçando.

Ai Jorge encantas-me terrivelmente com as tuas apoteoses poéticas.

CatWorld disse...

"Mas estando à mão o errado
Diga-o profano de tão sagrado
Estarás muy bien acompanhado
Como que bailando num fado"

e com juizo sempre mas com um pouco de frescura! ;-P
beijoca!

Martinha disse...

Gostei muito. :)

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

"Se tropeço enquanto ando
É por só pensar em estar voando..."

Sou obrigada a citar a mesma frase q a cátia... já que entre muitas das coisas q voam, tu és uma delas...
Voas alto com essas palavras com que nos presenteias em jeitos de rimas de menino grande.
Escreves opostos que atraem sempre por mais q certo ou até errado.

Salve Jorge que voa tanto ao tropeçar palavras belas...

****************************

Borboletinha. disse...

ah querido!se caires,faça curativo,
o chão nunca vai ser de massa-de-modelar,mas,sempre com marcas de sangue ele ficará.
mas de alegria também,de alegria!
ai,cai.
droga,acabou o sparadrap,e agora?
ah,foda-se,ela não vai me curar mesmo.
ah,tropeço em todos os sentidos,
minha cabeça nem tenho mais,vive na Lua,na Lua,na Lua...
teimosinha ela.

magie disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
magie disse...

E são nos vôos rasantes
Que a vida se faz assim, errante
E não faz parecer tórrida
A simples condição de existir.

Humm... não foi boa a minha tentativa
poética, mas considere a intenção, ok?

Beijos.

Borboletinha. disse...

sim querido,irei voar,mas antes,os pasarinhos irão me contar!
como será como será?!
ai caramba,só de pensar...
não tenho mais unhas pra arranhar.
grito interno: EU QUERO AH PORRA DO SILÊNCIO QUEBRADO,ouvir voz,ou ler,sei lá²,me acalmar.
ver,tocar.
sentir,FALAR.
lagrimar,
contar,conta.
os passarinhos parecem tristes ao me ver,mas eu quero que um deles venham com um sorriso na face,pra algo me dizer.
sim sim!
ai que calafrio.

Lynn disse...

Certamente vôo
Por isso me questiono
Ainda sim não há respostas
Tudo não passa de apostas
Viver tem dessas cousas
Nenhuma nota fácil se entoa
Ou sim
E vou seguindo
Tentando certos, tropeçando no que chamo errado
No fim... tudo são nomes
Daquilo que se chama caminho

Besos hermano!

Joana Dalila Santos disse...

Obrigada pelo comentário*

Anônimo disse...

Dou a conhecer um novo blog onde arte de amar reinara.

Serás bemvindo.

Beijinhos

Intimo Misterio
www.intimomisterio.blogs.sapo.pt