segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Coisas antigas ou Você...

Em meio ao meu caos cotidiano, eu procuro você
Depois de tantos desabafos e enfrentamentos, eu procuro você
Mesmo feliz e satisfeito, eu procuro você
Caminhando, vivendo e amando
E procurando você

Nas incertezas de minhas escolhas procuro você
Alucinado doidamente, eu procuro você
Não me adiantam as vitórias
Nem me derrubam as derrotas
A cegueira pode me levar por caminhos tortos
Mas logo a visão me trará à trilha correta
Pois no fim de tudo, eu estou procurando você

Queria ser um bandoleiro solitário
Um errante confiante na própria independência
Só que não o sou, pois tenho consciência
Estou preso a você por vontade
Sigo a trilha dos teus passos
Rumo a abismos distantes e mares profundos
Procurando você e consumido pela saudade
Vivendo amores fadados ao fim
E no fim procurando você
Tonto, cansado, louco e desesperado
E mesmo assim confiante
Por mais que demore e seja difícil
Por mais que me desgaste esse martírio
Eu caminho pra frente sem ver-te
Porque em algum lugar eu acho você...

4 comentários:

CatWorld disse...

e as vezes vale mesmo apena procurar?!
beijocas!

magie disse...

Belas palavras para tamanha grandeza da sua procura! Mas na minha tão tola percepção achei que já a tivesse encontrado.

[?]

Beijos

tayná disse...

procurando assim te encontro
até debaixo de minhas unhas
por entre meu cabelo sujo
e em minha perna nua
no meu ventre, teu abrigo
de abrir os braços e te esperar
te procuro no abismo
na terra santa
e no mar
nosso mar
e não canso, não paro
te procurar é um praser
com pronome na frente ou atrás
com gramática ou sem
hás de ser
e eu ter
o teu toque
o teu suspiro
os teus olhos
o teu espirro
e embriagaremo-nos
no seio da primavera
colheremos flores
plantaremos ervas
e deitaremos
na Pársagada
que nos espera.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Que lindo poema...

Procurando achará estou certa...

E quem não procura sempre algém?

******************************