sexta-feira, 28 de março de 2008

Uma homenagem a quem [P]arte ou Me [P]arte...

"Eu protegi o teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor.."


- Elegante (Ele pensou.. ela sempre soubera ser indevidamente elegante, justamente quando menos se esperava. Travestida de sabedoria sarcástica ia desarmando o peso do escombros, dando de ombros e causando muito assombro entre a carióceia desvairada..) Muito elegante (O pensamento reverberava com o impacto de um mosquito numa noite quente e cansada de verão. Ele queria dar um tapa, mas isso nunca afastava o mosquito, assim como os dedos a tilintar sobre as teclas..) É uma pena.. tão elegante.. (conjecturava quantos meses seriam.. eram menos que doze, o que não fazia a menor diferença.. afinal ela era mais que educada e que educadora, as intenções terceiras eram besteira perto dos ranços pré-históricos, mais que um piscar de olhos lento, mais que uma prenda rara ou um muito obrigada, que uma dança, que um medo, que uma femme fatale.. ela era muito mais que doze meses..) Talvez em algum buraco negro.. (e desligou o mundo buscando no espaço alguma estrela menos fulgaz, já que saudade alguma significaria resposta a um nunca...)

"Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador

Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro e aguava o bom do amor
Prendia o choro e aguava o bom do amor"

8 comentários:

[P] disse...

Eu devia te desautorizar a utilizar esses golpes extremamente baixos nos momentos mais inóspitos da minha vida.

Porém, contudo, entretanto, todavia... quando você resolve fazer algo direcionado a esta que vos escreve, faz questão de utilizar aquele [P], o que não deixa dúvidas ou margens a interpretações errôneas. Portanto, é meu.

E acho que esse tipo de agrado, quando surge por causa de uma admiração pelo que se escreve, é o que qualquer blogueira gostaria de receber. Então, tomo conta. E não desautorizo.

[Hoje, especificamente, estou abusando. Mas só por causa do aniversário do blog, tá?]

No mais...

Que merda, viu? Detesto quando me deixam sem as palavras exatas.

Juliana Caribé disse...

"(e desligou o mundo buscando no espaço alguma estrela menos fulgaz, já que saudade alguma significaria resposta a um nunca...)"

Hoje, qualquer reticência minha vai dizer muito mais que palavras
.
.
.

(julianaocaribe@hotmail.com)

Beijos.

TOOP disse...

Buscando estrela.
Adorei! lindo mesmo moço!!!
...
Vou considerar a idéia da maquina que faz "Dzzzzzzzzzzz".
...
Sempre inspirado!

Martinha disse...

«Elegante (Ele pensou.. ela sempre soubera ser indevidamente elegante, justamente quando menos se esperava (...)»

Este bocado de texto corrido fez-me pensar em como a aparência das pessoas pode exercer influência no nosso modo de agir para com elas...

Beijo *

Camilinha disse...

salve, salve...

blog inteligente e inspirador!!!

Parabéns...


beijos daqui...

Gabriele Fidalgo disse...

Nossa, que coisa maravilhosa!

'já que saudade alguma significaria resposta a um nunca...)'


Sem palavras. Esse você escreveu transbordando de inspiração.


Beeijo.

Krika disse...

Como você usa bem as palavras! Sempre com muito bom gosto. Por acaso é professor?

Super Beijo!*

Desajustada disse...

noossa, perfeito ;')
vc escreve asc oisas de uma forma que toca o corção, pelo menos tocou o meu!
:D

boa semana.

beijos