quarta-feira, 5 de março de 2008

Abismos ou Ser aedo...

É um risco. Só um risco. Mas eu arrisco. Pois já é março. Mar, só. Só mar.. Somar. Sumir. E algumas dimensões eu esgarço. Pra desfazer o mormaço. E requerer mais um maço. Tirar todos os filtros. Um a um.. e fumar até queimar os lábios. Fazê-los doer de tão existenciais. Trêmulos de tão vivos. Enquanto a fumaça disseca entranhas. Mapeia as vivências internas. E estupora o que conservo. Apenas pelo luxo de me livrar de.. Disso. E deixar a consciência ter seu tempo para a preguiça, enquanto os instintos dissolvem possibilidades.Perambular pela cidade. Ser de novo discrepante. Alugar meu juízo para coxas confortáveis. Experienciar o gosto lodoso das margens. Mar só de expectativas, na ilha da mesmice, cujos cocos estão secos e ainda assim azedos. Mas às vezes vem chuva para refrescar, e eu até gosto das ressacas. E ergue-se o medo de ter que dormir mais cedo numa cama que eu não gosto só porque você mandou.. mas até nisso tem seu dedo. Sempre soubes que o pé eu não arredo, pelas linhas sinuosas é que me enveredo.. sempre quis ser aedo, mesmo com minha voz xinfrim. Assim, portanto, entretanto, logo sendo, todavia.. dê mais dois dedos desse trem, só mais um passo e chegamos além... e por quê não ir até a beira do precipício?.. Tenho medo de altura, mas esse é meu vício.. mais elaborado.. desde o início, exatamente porque eu sei que não caio...

10 comentários:

Mah disse...

as águas de março fecham o verão que chegou tardio, assim como esquecimentos frescos, tão frescos quanto a grama verde, molhada pelo temporal que cai toda tarde. toda tarde cai o mesmo temporal. lá fora e aqui dentro.

Martinha disse...

Estamos num novo mês. Novo mês, novas vivências. Ou não. Seja como for, espero que corra tudo bem neste mês, que incita ao início da primavera.

Dei-te um prémio. :P
Beijo *

Aline Aimée disse...

a velha obsessão vital: deixar as linhas, sair das filas, romper contratos e se aventurar em galhos de árvores. gostei daqui...

Diva disse...

Assim, portanto ou entretanto pra quem tanto fez como para quem tanto faz.
Importa? Eu? Tu? Quem? Abismos todos temos um pouco aqui e ali...em algum canto do ser um negro ser...ser em ti e em mim... Existindo nesse vazio. Coisas do ser. Manias da alma. Livrarmos-nos? Pra que? Sabe tão bem andar em bambas margens da vida. Ser vida. Possibilidades... em que sei que não cais? Ou caimos...um dia?
Bjs meus

P.S. Ah... tou quase a fazer anos...em plenas aguas de Marco.

Lara disse...

Gosto muito da forma como você escreve. Sei que isso é me repetir, então escreve algo bem ruim que eu não me repito ok? rsrsrsrs
Mês de março começou estranho para mim, quisera eu poder expressar isso com tanta beleza.
Uma boa tarde poeta!
Bju

SAMANTHA ABREU disse...

muito bom!
adoro essa loucura de palavras, e como elas mudam, se divertem na boca da gente!

Um beijO!

Dayane disse...

Vc me lembrou muito o Zeca Baleiro,com um estilo simples,direto e poetico de dizer as coisas,de uma forma ao mesmo tempo forte e doce.Lindo,amei ^^.

Camilla disse...

Eu não tive um sonho,
mas quando acordei
fiz.


ou não.

TOOP disse...

Tenho uma amiga que sempre me diz que não se deve ter medo da altura, e sim temer a queda.
...
E nos finais de noite, tenho passado horas com minha cerveja e meu cigarro pensando:
-Março... está acabando o verão. Crianças peguem seus casacos e vamos dançar.

Juliana disse...

é, eu tb escrevi um post sobre março. há algo de muito forte nesse mês, mais que as ondas do mar- e fios de -aço.

sua prosa poética é como um endoscópio d´alma...

beijo