segunda-feira, 31 de março de 2008

É tanto ou São as águas de março fechando...

"É pau, é pedra, é o fim do caminho
É um resto de toco, é um pouco sozinho
É um caco de vidro, é a vida, é o sol
É a noite, é a morte, é um laço, é o anzol..."

Lá se foi meu embaraço
E mais um maço
Estou sempre a um passo
Em tudo aquilo que faço
Rebusco uma vertigem
Apenas pra sorver a viagem
Ir curtindo a paisagem
Enquanto alguns fingem
Outros fogem
Eu navego
Não nego
Que tanta coisa relego
Que mesmo cego
De tanta luz
O que me conduz
Não é ter
Nem o pode ser
É só um viver
Que articulo com você
Nessa prosa
Como se lhe desse uma rosa
E você me desse um cravo
É nesse campo que travo
As linhas do meu discuro
É nessas águas
Que sigo meu curso
E verto meu sangue
Até o mar
Que mar só há
Ah, mar só
Tanto oceano
Quanto nó
De nós
Que mesmo sós
Somos dois
Somam pois
Os sóis que sois
Num céu de águas plácidas
Mesmo se depois
Não há
Resta sempre um mar
A nos desafiar
Mar só há

"É o projeto da casa, é o corpo na cama
É o carro enguiçado, é a lama, é a lama
É um passo, é uma ponte, é um sapo, é uma rã
É um resto de mato, na luz da manhã..."

14 comentários:

magie disse...

Senti uma conversa particular com Tom Jobim. Mas você é poeta como ele! Então, nada a declarar.

Beijos.

assim-e-assado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tayná. disse...

vamos nos molhar
dos pés à cabeça
beber dessa água
e de nadar,
não se esqueça!
e se por acaso,
te afogares agora
eu te estendo o braço
e te puxo pra fora
da boca fervorosa
do mar
ah, mar!
nosso mar.

Juliana Caribé disse...

"Num céu de águas plácidas
Mesmo se depois
Não há
Resta sempre um mar
A nos desafiar
Mar só há"

Esse céu de águas plácidas agora te contempla
deixa-se olhar nesse infinito azul que essas retinas capturam.
Você é brisa. Sopre.

Beijos.

TOOP disse...

Adorei a troca... a do cravo pela rosa... do branco pelo vermelho e vice-versa.
:)

Mah disse...

Como disse a Magie tão poeta quanto Tom.

Lindo lindo lindo:

Como se lhe desse uma rosa
E você me desse um cravo
É nesse campo que travo
As linhas do meu discuro
É nessas águas
Que sigo meu curso

.......


"É uma cobra, é um pau, é João, é José
É um espinho na mão, é um corte no pé..."

Desajustada disse...

"...Ir curtindo a paisagem
Enquanto alguns fingem
Outros fogem
Eu navego
Não nego
Que tanta coisa relego..."

instrutivo, venero sua poesia!

Martinha disse...

Iria pelo segundo título do teu post.
Um novo mês começou, novos caminhos a percorrer...

Beijo *

forever disse...

Ah, essa música... é quase indízivel o que faz sentir...
Gostei muito de seus escritos, de seu blog e ainda mais do post sobre amor no blog da Toop.
bjos pra ti.

Lorita disse...

Casamento perfeito de Tom com Jorge! :)

Primeira visitinha minha aqui, gostei do que li. Ador poemas nesse estilo.

Bjm

SAMANTHA ABREU disse...

parece brincadeira...
e é rica demais.

um beiJO!

Gabriele Fidalgo disse...

Você e seus diálogos com a arte! Sempre cheio de certeza e sensibilidade.


Também venero suas palavras.


Ps: que comentário foi o de hj no versos de falópio hein? vc disse tudo. confesso. Elisa deveria te ouvir mais. rs

:*

Lynn disse...

SURREAL!!!
comecei a ler esse post concomitantemente a essa musica linda na voz deliciosa da Elis tocando aqui no rádio (Nacional FM)...
não canso de vir aqui. =D

Bianca Feijó disse...

Salve Jorde...

Correntes ao mar...
Suave, gostoso de ler...

beijos