segunda-feira, 11 de junho de 2007

Trance...

"I´m under your spell
Like a man in a trance.."
Transe
Transo
Danço
E não canso
Ininterrupto vai e vem
Reverbera minhas sinapses
Reverbera e me faz bem
Entrópica concretude que me invade
Com ímpar alarde
Sempre cedo, nunca tarde
Me invade e me convém
Enxergo além das fronteiras
Das morais
Das rotinas
Dos vai-e-vem
Fico insano
Fico instigante
Fico pleno
Fico outrém
Sigo o trem das sete
E o das onze
E se deixar sigo além
Vou errando errante
Para o alto.. e avante
Para o sol
Para o mar
Até achar o big bang
Lá no nascer da realidade
O ponto nodal da entropia
Com toda minha imperiosidade
Cumprimento o artista
Rasgo os pés na pista
E falo nessa nova linguagem
De tempos oitavos
De barras
De compassos
E refaço os traços
Os mais tortos possíveis
Torno então, dizíveis, pulsões
Até então incompreensíveis
Vibro cada infinitezímal partícula
De minhas moléculas comprimidas
Faço parte e me redefino
Transcendendo a concretude insípida
Visto-me de gala
Com meus pés cheios de poeira
Ostento a cabeleira
Banhada pelo suor
Gozo para a brisa que me serpenteia
E morro no beijo mais doce
Que um explosão de dopanima pode oferecer
Daí vejo que o mundo é perfeito
Do seu jeito
Junto ao que trago no peito
E me deito
Suspirando satisfeito, enfim...
Em mim...
Assim...
Perfeito...

2 comentários:

Cátia Margarida disse...

São seus traços que fazem a vida ser desse jeito perfeito, que eu olho e não vejo essa explosao de grandeza. Sao vendas que me cegam e me pisam e me gozam com o carinho de serem maiores. Um dia saltarei tao alto que tudo o que é triste me parecerá tão pequeno e aí, aí verei o mundo bem perfeito como ves. E te contarei como foi.

tayná. disse...

e assim a vida tem que seguir
cheia de baixos
repleta de altos
mas vida, emfim
coloque tuas sandálias mais velhas
dê-me a mão ou segure as rédias
do cavalo negro que nos leva
para mais perto do nosso mar
onde banhem-se as sereias
e caiam as estrelas
fazendo a água brilhar
viro vaga-lume, para te arreganhar o sorriso
porque é doce e impreciso
o vôo de um bicho assim
sorria! sorria!
que tudo é mais belo
que teu pulo incerto
me alegra o viver
quero flores
quero fumaça
quero amor fazendo graça
quero muito é te ver.