sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Pedaços de um compasso sem sintonia ou Não me arrependo de nada...

Eu vejo as praias
Da areia
Penso nas sereias
Ao longe algumas vaias
Invejosas das saias
Presas nas teias
E sempre que a noite alteia
Irrompem as asas
Sangradas mas firmes
Para me levar aos culmes
Pra esquecer das casas
Tão insulares...

Eu precisaria apenas de uma brisa
Uma calça velha, um chinelo e uma camisa
Dos meus cabelos compridos
Algumas reminicências do vivido
Pra lembrar que consigo
Que é tudo comigo
Que sou meu próprio abrigo
Pra ver se sigo
Cantarolando um sambinha
Esquecido de tudo que tinha
E nunca tive...

Se eu pouso
Tem de ter festa
E se não tiver
Escapo pela fresta
Porque sempre ouso
O quanto quiser
Afinal não existe colher
Por isso pra que dobrá-la
Melhor me livrar da mala
De tudo que cala
E amá-la
Como se não houvesse amanhã...

Mas é só mais um começo
Quem busca o certo
Não percebe o avesso
Do avesso, do avesso.. do avesso
Então fico esperto
Me lembro do Humberto
E de todos os amigos
Dos aprendizados antigos
Que me fizeram um refugo
De tantas possibilidades
Me libertaram do julgo
Das estéticas e das vaidades
Mas eu não me arrependo de nada
De absolutamente nada...

5 comentários:

disse...

Não consigo, sempre me arrependo de algumas coisas.

[P] disse...

O importante é não se arrepender de nada mesmo. Também não me arrependo. Posso esbravejar, me chamar de tola, me perguntar "como é que pude ser tão, tão?", mas sempre junto os percalços e os tombos às minhas receitas de "como posso utilizar isso mais tarde de outra maneira". Funciona; até agora, anda funcionando...

"Eu precisaria apenas de uma brisa
Uma calça velha, um chinelo e uma camisa
Dos meus cabelos compridos
Algumas reminicências do vivido
Pra lembrar que consigo
Que é tudo comigo
Que sou meu próprio abrigo"

Gostei desse trecho em especial, homem!

Mah disse...

mais uma semelhança: você é tipo eu. não se arrepende de nada.

Gabriele Fidalgo disse...

'Quem busca o certo não percebe o avesso'. Por isso que eu procuro viver tudo, seja certo ou errado. Acho que tudo tem um porquê, um motivo, e se arrepender é como ir contra isso.

desculpa a demora para responder. É que a semana foi bem tensa. Mas tudo já está bem agora e o meu pai já está em casa. =]

Beijos.

Lara disse...

Acho muito legal a forma como você vê o mundo. Através dos versos quase posso ver de uma forma que os meus olhos não alcançam.
Boa noite Jorge. Salve!