terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Coisas passadas ou melhor post de setembro...

Já tá acabando pessoal.. setembro foi dificil, mas tinha um que era or con cour.. risos.. o convite da minha festa...
Descobri Pasárgada inspirado por uma musa e nunca mais arredei o pé de lá... lugar sem igual..
Quem quiser ler em conjunto com o Bandeira, verá que é um diálogo direto.. risos
Grande abraço e infindáveis energias...

Venha-se embora para Pasárgada ou Convite para minha festa de aniversário de 20/10

Venha, venha-se embora para Pasárgada
Pois cá és amigo do rei
E haverão gloriosas e tamanhas festividades
Pelas quais sempre esperei

Venha, venha-se embora para Pasárgada
Venha, venha-se embora para Pasárgada
Que aqui serás feliz
Aqui, existir será uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que loucura será traquejo
E o delírio será vertente
Tudo fazendo manejo
Da ebriedade mais potente

Irás dançar delirante
Tornar a ser infante
Expandirá suas sinapses
E tropeçará em suas sintaxes
Viverá o prazer do êxtase
Lindos e Suaves Delírios
Numa conjunta catarse
Digna das histórias
Que em seu tempo de menino
Rosa vinha lhe contar
Venha, venha-se embora para Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem processo seguro
De se expandir a percepção
Haverão sons multicoloridos
Haverão beberrâncias à vontade
Damas e senhoritos
Para um bom prosear

E se por ventura entristecer-se
Mas entristecer-se de não ter jeito
Se ao amanhecer der alguma vontade
De ir-se de vez mesmo
- Pois cá és amigo do rei –
Terás a fumaça que queres
Que eu mesmo apertei
Venha, venha-se embora para Pasárgada



A quem interessar possa, a costumeira festa épica dar-se-á na famigerada Chácara do Gordo, no altiplano da perdição. Aguardo as encomendas dos produtos necessários ao divertimento dos participantes e vos lembro, não ser permitido realidades estáticas e descoloridas por lá..
Todos os dragões, fadas, diabretes, seres místicos, poetas, loucos, entre outros, são mais do que bem vindos...

5 comentários:

[P] disse...

Ui, visual novo por aqui! Pode dizer que gostei mais do branco do que do antigo? E aquele arco-íris, então? Então, gostei.

E sobre o post, eu lembro que me comprometi com o bolo de chocolate :)

Gabriele Fidalgo disse...

Você escreve maravilhosamente bem!!
E aliás, o arco-íres combinou perfeitamente com a clareza, simplicidade e poesia do blog. Adorei.

Você disse:

'Genealogias de um corte de cabelo
Um espelho trincado e um papel rasgado
São atributos dos inconstantes começos
Dos avessos da jornada...'

Tem idéia de como isso faz sentido pra mim? adorei o comentário que me deixou.

obrigada.
beijos

disse...

Isso é que é convite de aniversário, com direito a adaptação de Bandeira e tudo mais. Pena que já passou.

Mah disse...

ah essa festa...lendária dizem.

Cátia Margarida disse...

Quando falas de todas essas festas, que aos meus olhos segundo as tuas tão maravilhosas descrições me parecem encantadoras, fico num deslumbramento tal que me dá uma vontade de engolir todo esse mar maldito. ah... um dia hei-de ir a esse lado do mar, hei-de sim.

Bom Ano de 2008! Ai Jorge escreves de uma maneira incrivel, espero que publiques em breve.