terça-feira, 11 de dezembro de 2007

Vivo ou Vou sim...

Vivo
Nem sempre altivo
Tantas vezes nocivo
Vivo?

Vivo
Um tanto expressivo
Tão poucas decisivo
Vivo?..

Vivo
Viro
Vidro
Livro
Crivo
Quase lascivo
Nesse mundo massivo
Contido

Contudo
Com tudo
Contigo
Consigo
Sigo
Vivo
Vi
E vôo
Vou-me
Vivaz
Como lá atrás
Vem
Viver
E ver
Voar
Vivos...

7 comentários:

disse...

Ótimo jogo de palavras, moço. Vim aqui elogiar o q fizeste nos comentários do meu último post, mas qdo chego aqui me deparo com esse... nossa, quanta inspiração. Bjs pra vc.

R@Ser disse...

Olá querido amigo....Olha que um dia eu aceito teu convite e vou ao Planalto(hehehehhe).
Que poema lindo hein...poxa...fico encantada toda vez que te leio.Parabéns.


Bjinhos doces.

Juliana disse...

e quem sobrevive?

Lylilyn@ (testando blog) disse...

Passei aqui, vi teu blog, ele é original ! Na verdade to testando o meu , espero poder contar com seu comentario, suas criticas, enfim, com sua opinião !
Se quiser venho te « comentar » , me avisa, ok ?!
Aqui na França esta fazendo um baita frio, tenho ficado muito em casa no computador…fazer o que, né ?
www.dateladolar.blogspot.com

Alê disse...

Vivo armada como Jorge
Sigo sem direção
Busco o meu dragão
Armada dos dentes ao coração...

Beijos*

Camila Queiroz disse...

O corpo suado em cima dela, em seu colo.
Eram peças peças encaixadas.
E ela começou dizer coisas que não queria dizer,
que sabia não serem verdade,
e não queria mentir para ele,
mas mesmo assim ousou dizer as mesmas tolices,
e até inundou os olhos.
Ela não sabia seu nome,
seu codinome.
E eu chorei junto com ela.
Não amamos.
Uma hora depois, amamos novamente.

Mary disse...

Pelo jeito, vive e tem com quem viver, com quem conviver, com quem sobreviver...
Quer coisa melhor?

Bjos e bom final de semana.

;)