segunda-feira, 21 de julho de 2008

Pra cruzar nossos caminhos ou Pelas inconstâncias de Lígia...

Se você quer viver
Eu também quero
E quero lhe ver
Com todo meu esmero
Tens essa magnificência
Que eu tanto venero
Daí que tenho paciência
Se é preciso
Eu espero
Mas não demora
Que eu quero sua inconstância toda hora
E seu sorriso
Seu sentir o vento
Venha logo fazer assento
Que eu juro
Te reinvento
Te curo
E te dedico mil vendavais
Daí embora não vais
Que o coração vai ficar pululante
Seus sentidos ficarão errantes
E eu?
Bem, eu me farei inebriante
Só pra potencializar esse instante
Onde enxargaremos as almas
E com toda a calma
Seremos de novo infantes
Com desabafos
Grandiosos no abraço
Aumentando o laço
Esquecido de ser safo
De ter segredos
Dar-te-ei até meus medos
Se vieres cedo
Que eu me enveredo
Viro aedo
Faço um som
Faço tudo ficar bom
Só pra curtir cada tom
Dessa sua aquarela...

19 comentários:

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Uauuu Salve Jorge!!!!


Amei esse poema dedicado
de uma paixão quente
segura por um amor pintado

amei o som legendado
o bossa-nova tão bem apropriado
por esse querer requintado

Quem dera ser Lígia inconstante
ou principe apaixonado
e escrever algo tão sagrado



beijinhos

Tata disse...

E eu me vi inebriada com tanto amor nesse poema.

dia, jorge.

salve!

Lígia Carvalho disse...

Me fazes perder o ar
Tens o dom de tirar um sorriso do meu rosto
A cada palavra
A cada vinda sua
Eu me renovo
Vem logo tu
Que não me canso de esperar
Teu canto
Solto no ar
Fazes-me bem
Faz-me melhor
De longe que seja
Muda-me
Acrescenta-me
Reinventa-me, sim!
De braços abertos recebo-te
Com todos os teus segredos
Eu quero
Eu aceito
Eu espero
Um colo
E vou correndo
Numa constante alegria




Nem preciso dizer que ganhei o dia, a semana, o mês, o ANO!

Lígia Carvalho disse...

Pois agora que eu tenho você, que a luz acabe, que a voz se cale, que o mundo pare de girar. Agora que eu tenho você, que a lua brilhe, que a chuva molhe, que o vento sopre devagar. Agora que eu tenho você, que a imagem permaneça, que tudo o que é bonito floresça, que haja mais ondas no mar. E agora que eu tenho você, que aqui você fique, e que tua boca grite, tudo o que eu quero escutar.

Patrícia disse...

Nossa que poema mas cheio de amor...
Que paixão gostosa essa, que pinta de aquarela o ceu, deixando tudo mais colorido e mais gostoso de se viver!!!

PS: Tava em falta, mas consegui um tempinho pra vim te visitar!

Beijos

Jaqueline Lima disse...

E, com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo?

su ellen. disse...

Adorei Jorge! :) sabe o que eu mais gosto do seus textos? o gingado das rimas! maravilhoso, delicioso! beijo grande :*

Tata disse...

E você se superou nesse comentário, Jorge.

Salve, salve!

Babei.

Anja Rakas disse...

Salve Jorge...
Tu tens umas mãos especiais, elas dedilham estas palavras doces e fortes pelo teclado a dentro e humilham o monitor dos computadores com tanta desenvoltura e inocência.
Adorei.

Beijo

Lara disse...

Nossa, oferecer até mesmo os próprios medos...
Fortíssimo isso.
Uma excelente tarde amigo!
BJu

Yara disse...

Todos os sorrisos derramados
ao poeta que dedica
vendavais aquarelados...

Tâmara disse...

É que pintar colorido encanta muito mais que pintar em preto e branco....

Lais Mouriê disse...

Amei... vamos nos lambuzar de amor de todas as cores da aquarela! Bjao

Patrícia disse...

Hummm ler seus comentarios é tão gostoso quanto vir ao teu espaço...
Obrigado pelo carinho!
Beijão

Nathália disse...

Nem sei o que comentar, só posso dizer que é lindo.

Beijo!

Santhiago Ramirez disse...

Isto é uma bomba atômica de emoções que gerou estilhaços em forma de versos.
Adorei conhecer aqui

Mariana disse...

Esse poema lido ao som de toquinho ficou mais que maravilhoso!!!!!!!

Parabenss!!!!

Adorei..


beijos

• predicativa disse...

"Vai minha tristeza,
e diz a ela que sem ela não pode ser,
diz-lhe, numa prece
Que ela regresse, porque eu não posso Mais sofrer.
Chega, de saudade
a realidade, É que sem ela não há paz,
não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai.."

salve, jorge.

DIZDIZENDO disse...

Que delícia!!!