segunda-feira, 14 de abril de 2008

Diferenças ou A um show do the doors...

(Muitas vezes fora assim. Tantas. Quase como em um samba de uma nota só. A cadência de um descompasso inerente ao ritmo quase estagnado de uma longa duração. Se são as espumas do mar que marcam o cotidiano, as águas abissais seguem na constância das correntes marinhas, fazendo dos abruptos tsunamis pouco mais que irrupções precisas de um oceano caudaloso. Muitas vezes fora assim.. tantas...)

- Essa foi a última vez!
- Desculpa, não era isso que eu queria.
- Você sempre diz que não é o que queria, mas aqui estou com minha fúria e minhas lágrimas!
- Desculpa, eu sinto muito. Mas eu precisava tanto...
- É sempre assim. Sempre é o que você precisa...
- Não é sempre o que eu quero. Quem me dera fosse. É sempre o que nós conseguímos...

"C'mon, c'mon, c'mon, c'mon now
Touch me, babe
Can't you see that I am not afraid?
What was that promise that you made?
Why won't you tell me what she said?
What was that promise that she made?"

- É isso que nós conseguímos? Isso não é o que eu quero. Eu quero tranquilidade. Sobriedade. Felicidade.
- Eu quero liberdade.
- E você não tem? Você não está aqui?
- Sim. Mas não da forma que poderia ter sido.
- Eu não queria estar aqui.
- E quase não esteve...
- Por que precisavam de mim em outro lugar...
- Eu sei.. e aceito isso... liberdade.. pra você e pra mim. Mas pode guardar a tranquilidade e a sobriedade... eu quero viver todos os conflitos e diálogos que tenho direito...

"Now, I'm gonna love you
Till the heavens stop the rain
I'm gonna love you
Till the stars fall from the sky
For you and I"

- Uma hora eu não vou aguentar mais.
- Eu farei tudo para que isso não aconteça.
- Não.. você faz tudo para que aconteça. Você faz só pra me provocar!
- Não. Eu faço só pra me provocar.
- Você só pensa em você!
- Eu só penso a partir de mim... e o que mais penso é em você...

(O ar parou de vibrar com as palavras e arrefeceu ao ritmo lento das respirações pesadas. Haviam olhos que fitavam o céu e olhos que fitavam a terra.. e um mar entre eles. Havia uma névoa da fumaça do cigarro, densa e branca. Havia rio de bebidas alcoólicas e comprimidos de todas as cores do espectro luminoso tornando o piso um tabuleiro de War para dois jogadores.)

- Você precisa mudar.
- Eu mudo o tempo todo. Eu, mudo, o tempo todo.
- É só o que eu te peço... é tão difícil fazer algo que eu te peço?
- Eu sempre mudo.. sempre mudo com você.. mas não posso mudar para você, isso irá me emudecer por completo.
- Você é tão egoísta.
- Sou.. me desculpe.. mas eu não saberia me ser de outra forma, que não essa inconstante dízima periódica.

"C'mon, c'mon, c'mon, c'mon now
Now touch me, baby
Can't you see that I am not afraid?
What was that promise that you made?
Why won't you tell me what she said?
What was that promise that she made?"

- O cansaço me domina. Todas as vezes. Sempre. Do mesmo jeito. E eu não preciso disso.
- Eu sei. E eu queria que nenhuma liberdade minha fosse libertinagem com a sua vontade. Mas somos tão diferentes, que todos os nossos sentidos formam ângulos oblíquos.
- Então talvez seja melhor parar de teimosia e desistirmos...
- Eu prefiro seguir tentando.
- Assim eu não terei tranquilidade..
- Nem eu terei liberdade, mas faz muito tempo que eu escolhi você a ela.

"I'm gonna love you
Till the heavens stop the rain
I'm gonna love you
Till the stars fall from the sky
For you and I

I'm gonna love you
Till the heavens stop the rain
I'm gonna love you
Till the stars fall from the sky
For you and I..."

16 comentários:

Mah disse...

"- Eu prefiro seguir tentando."


me deixou sem fôlego só em ler. imagina eu lá.

TOOP disse...

Dizer que Doors marcou a minha vida seria pouco. tudo perfeito.
Eu juro que tive um diálogo muito parecido com este que escreveste Jorge... muito parecido que chego a ouvi-lo enquanto lia suas palavras.
...
" Eu sei. E eu queria que nenhuma liberdade minha fosse libertinagem com a sua vontade. "
*não há mais nada para se dizer. Só q foi perfeito.

Marina Mah disse...

"Nem eu terei liberdade, mas faz muito tempo que eu escolhi você a ela."

É, a vida é marcada por escolhas e algumas tão difíceis, né?
Bom quando, apesar de difíceis, ainda sim são prazerosas...

Adorei seu diálogo intercalado com as estrofes da música (pena que eu e o inglês nunca nos demos muito bem...rs)
E adorei sua "visão masculina" do meu texto!!! Estou pensando em postá-lo logo em seguida, o que acha???

Mariana disse...

você andou me ouvindo conversar??

nossa.. eu tive esse dialogo (em essencia) no domingo!!!!!!!!!!!

vc tava ouvindo.. eu tenho certeza!!! hahaha

adorei o blog.. bjs

Martinha disse...

As nossas diferenças para com os outros, podem dar estes grandes choques... Choques tremendos que podem acabar mesmo em mágoa e separação...
Isso é terrível... já o senti na pele e sofri com isso :/

Beijinhos *

Lorita disse...

amar, a sublime arte de sofrer e gostar disso! rs...

bjm

Palavras quase racionais disse...

os diálogos ficaram incrivelmente sincronizados com os trechos da música, foi como mesmo sem ouvi-la eu a estivesse escutando...
Seu texto é alucinógeno...
Impactou-me essa primeira visita aqui, saio escorando pelas paredes, me segurando, pois sinto dominar meu corpo o torpor das palavras que vc lançou aqui.
Tentarei me recompor...
Glaucia

forever disse...

ah, a liberdade...
mas se os elos todos,
as vidas que se ligam às nossas,
o ar que toca nossa pele,
as pegadas que deixamos... tudo nos torna um pouco menos livre, a liberdade existe?
sim, eu digo,
ser livre é poder pensar...
poder escolher amar também é ser livre...
beijos
muito bom

Marina Mah disse...

Muito obrigada!!!!!!!!
Juntei-o com o meu texto, intercalando as estrofes.
Gostei disso!!!
Composição conjunta...
Façamos outras mais!!!!
Ficomdeus

Bárbara M.P. disse...

SALVE QUERIDO,

Hoje vim convidá-lo a participar de uma campanha que se iniciou lá no blog Saia Justa e já mobilizou um monte de gente boa! Dia 18 de Abril - Dia da Blogagem Coletiva Contra o Analfabetismo.
Passe lá no blog quando tiver um tempinho e leia mais sobre a campanha, você só precisa divulgar com o selinho e fazer o que mais sabe fazer, escrever sobre o tema.
Contamos com você, Jorge.

Um beijo
Bárbara

Bianca Feijó disse...

É...

Sem bem o que é isso, não era bem assim que eu queria...
Talvez seja melhor pensar que vai ser como tem que ser...

B.E.I.J.O.S moço!

Camilinha disse...

Aff...

Tantas e tantas vezes, que até perdi a conta, de diálogos como este ao telefone, ao vivo, no msn...

Qual a saída para quem quer continuar tentando?
E para quem já desistiu?

beijos daqui...

Krika disse...

Acho tão bonito quando você deixa os recadinho todos sempre tão rimados...um baile de palavras. Um diálogo que se confunde a própria música 'entrelinhas'.

Super beijo!*

Lara disse...

Taí uma pessoa com bons argumentos (a que deseja liberdade). Ficou lindo o post!
Bj

camiles disse...

escolhi a liberdade, pago o preço por isso... alto e custoso, mas ainda tenho a mínima impressão que me domino. embora tenha a certeza que não sou eu quem me navega, quem me navega é o mar. ando nua e crua ultimamente...

Gabriele Fidalgo disse...

ADOREI!!

Trilha Sonora Perfeita!