sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Nâo exatamente o que eu queria ou Prefiro puro mesmo...

(Certo dia, ele resolveu beber a vida. A vida nunca foi sua bebida preferida. Começava doce.. mas sempre amargava no final. Tirou a tampa.. colocou no copo.. rodopiou-a enquanto a olhava e a vida olhou de volta.. nissou surgiu alguém, que já tivera nome, mas hoje preferia ser alguém qualquer, mais que ninguém e com um não ser que só sabe ser a mulher..)
- O que está bebendo?
- Você poderia dizer "o de sempre.."
- "O de sempre" hoje em dia eu prefiro com gelo.
- Eu sempre prefiro puro..
- Certas coisas nunca mudam.
- Tudo muda o tempo todo..
- Foi o que eu quis dizer. (ela disse antes de sentar ao lado dele ali no balcão..) Posso sentar?
(Ele olhou com seu melhor olhar de você já sentou..) - Claro. O bar não existe mais mesmo..
- Ouvi dizer. Então o que faz aqui?
- Estou bebendo.. sabe como é.. já sei foi o carnaval..
- Mais um. Agora o ano começa.
- Pois é.. mas eu não tenho pressa..
- Você nunca teve. Soube que passou num concurso.
- Passei.. pra professor substituto em Santa Maria..
- Parabens. Eu acho..
- Obrigado. Eu acho..
(Ele voltou a olhar o conteúdo do copo buscando melhor companhia..)
- Não adianta. Eu só vou quando eu quiser ir.
- Eu tinha esquecido..
- A maconha destruiu o seu cérebro. (e ela riu com deboche)
- Sei.. o que você quer afinal?
- Nada. Só resolvi dar uma passada.. ver esse seu corte novo de cabelo.. achei que você não ia cortar nunca.
- As coisas sempre mudam.. eu gostei dele um palmo mais curto..
- Pra mim ficou uma merda. (e ela acendeu um malboro light)
- Obrigado. Eu acho.. (e ele pensou se não era melhor tomar tudo de um só trago..)
- Disponha. (soprou a fumaça espeça como mármore) Você disse que gosta puro. Vai terminar o mestrado?
- Sim.. eventualmente.. em algum momento.. ao menos antes que ele acabe comigo..
- E como foi de viagem?
- Viajar é preciso. Viver..
- "Bem.. isso é uma longa conversa.. deixa eu apertar um enquanto falamos à respeito..." Você podia pelo menos mudar esses seus clichês. (e ela riu com desdém esnobe)
- Certas coisas nunca mudam.. e a viagem foi renovadora, algumas novas perspectivas, alguns redemoinhos de lama inescapáveis.. essas coisas..
- Claro, claro. Foi bom ver você.
- Gostaria de dizer o mesmo..
- Ah, mais uma coisa.
- Sim? (disse ele caindo na armadilha)
- Você sabe que eu acho essa história de metáforas vazias sobre a vida num blog ridículo né?
- Eu imaginei.. aliás estou imaginando..
- Pronto. Era isso. (ela levantou-se..) Até qualquer dia.
(Ele assistiu ela ir-se pelas ruínas do bar. Olhou mais uma vez para o copo onde a vida jazia sem gelo.. ao seu redor circulavam as quimeras de sempre, algumas novas e umas poucas ainda sem identificação.. daí tomouo tudo num gole só, limpou os lábios no antebraço, sentiu a queimação inicial no estômago e deixou-se embriagar, os sentidos se dobrarem ao entorpecimento e ver se pensava em algo mais sensual da próxima vez...)

6 comentários:

Rui Caetano disse...

Gostei, considero muito interessante o teu texto. Um bom fim de semana.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

mais uma vez bebeste vida com palavras;)


beijos

TOOP disse...

Eu sempre bebo a vida sabe, mas ela sempre é amarga no começo e doce no final.
;)
...
"- Tudo muda o tempo todo.."
E espero q continue assim!
Incrivel seu blog rapaz!
Em santa Maria não sei... mas em Porto Alegre chove por estes dias...Janelas chorando!
bjus!

disse...

Blog ridículo?

Que audácia!

Bianca Feijó disse...

Ridiculo foi quem falou que o blog é ridiculo...
Sempre me encanto com seus textos, entre um trecho e outro sempre fala algo que parece ter sido escrito para mim...
Agora vou saindo bebendo aquele gole que queima o estomago...

Beijos querido!

Lara disse...

A vida né? Não é a melhor coisa que se pode imaginar mas não é bom deixá-la parada no copo.
Boa noite moço! Saus metáforas são lindas!