sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Câncer

Hoje eu encontrei uma vitória
A vitória agradecia por um mal benigno
Contou-me sua história
Do falso amor que havia partido
E conseguia achar certa glória
Pelo não haver que foi banido
Pois não era digno
Viu nisso um signo
Que a guerra vindoura
Pior seria com falso amigo
Mesmo posta em salmoura
A vitória incansável
Viu de seu mundo, o caos mais instável
Mas à despeito do provável
Ela seguiu consigo
Dançou com o perigo
Fazendo a vida brotar de cada ato
Pois viver é insensato
E disse ela
Que quanto mais fores incauto
Mais bela a tela...

3 comentários:

Canto da Boca disse...

"Viver não é preciso..."
Mas certamnte outro mundo surgirá a partir do caos....

Flávia disse...

Lindo poema. Momentos difíceis como esse fazem-nos perceber o rosto das pessoas que no cercam por trás de qualquer máscara.
E da vida levamos isso, não só rosas, mas dor, prazer, solidão e amigos...o contraste e o colorido =)

Lara Amaral disse...

O que para alguns é vencer parece muitas vezes uma perda conformada.