quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Insone...



Os dias estão corridos
Os pés estão exauridos
E talvez por isso haja tantos sorrisos
Imprecisos...
O cansaço me alimenta
Sou daqueles que voa, mas não senta
Mantenho a cabeça atenta
É parar que se lamenta...
Tenho reggae, cordel, eletrônicos e forrós na alma
E, ainda, muita calma
Para lhe beijar a palma
Enquanto me deito
No teu leito
No teu peito
Atento ao jeito
Do teu trauma...
Vieram parentes
Passaram os doentes
Gritaram os inclementes
E eu.. um tanto dormente...
Mas vim..
Vi..
Venci..
O tempo..
Por hora descanso as asas
Até que tenha de revoar sobre as casas
Derramar as travessas rasas
Para apagar as brasas
Das tuas chamas...
Chamas?
Amas?..
Clamas?...
Tramas...
Eu tramo..
Conclamo..
Eu amo..
Como um fauno insone...

4 comentários:

Luana Inaudita disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ego. disse...

Por isso, vc é meu rey!!!
rsrs...

Bjos de feliz ano novo!

Flávia disse...

Que lindo!adorei o retrato do fauno, combinou muito bem com os versos.
Excelente 2011, que o amor cresça e floreça em todos os seus dias.

Srta T. disse...

ecoei.