segunda-feira, 19 de julho de 2010

Repente...


(Encontrando-se começaram a dançar..)
- Precisa?
- Preciso de tudo.
- Pois só sei ser impreciso e nunca mudo...
- Você se faz de surdo.
- Só se tiver repique e pandeiro...
- Você me deixa indecisa e assim nunca me ajudo.
- Você precisa jogar-se no samba e dançar pelo terreiro...
- Não. Isso é desatino seu. Eu preciso preparar meu terreno. Quero um futuro tranquilo.
- Pois eu quero um presente efervescente. E até se meu mundo pequeno for carregado pela torrente, direi fí-lo porque quí-lo...
- Esse seu comportamento de bacilo é destrutivo e nada producente. Vai morrer no próprio vômito, sempre vítima do próprio vacilo.
- Mesmo se suas palavras me deixam atônito, acho bonito que busque o futuro. Acho triste só que se concentre na fresta do muro e deixe a paisagem passar tão rente, sem que toques.. chega a me parecer um choque, que você tudo agora troque, pelas devaneios de mais à frente.
- Sou dessa gente que tem que deixar suas marcas, constituir família, engrandecer a sociedade, multiplicar a cultura, desenvolver a economia e reafirmar a política.
- Entendo.. guardo então minhas críticas.. sou dado a coisas casuísticas, mas sem efeitos.. é meu jeito.. trago a tempo no peito minha contra-cultura.. da sociedade ela me cura.. deixa minha trilha elíptica, sem economia na magia.. expande em rede a energia.. e tudo vira samba.. até se descamba, eu danço partido alto...
- Pois é pela lógica que eu me pauto. Nâo vim ser tomada de assalto. De salto me basta o alto.
- Então vou-me com minhas havaianas.. simplórias e mundanas.. sujar meus pés de terra por aí...

11 comentários:

ErikaH Azzevedo disse...

Melhor ser livre, deixar de ter uma personalidade pré-moldada, pré-estabelecida e tantas vezes cobrada pela maioria, melhor ser livre pra ser o que se é, e o que se quer ser...fácil assim...e tb muito mais feliz.

Um beijo ao menino.

Salve, salve!

Erikah

Débora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Débora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Débora disse...

Ele se foi com suas havaianas, desejava sujar seus pés de terra. Restava a ela pegar seu salto, enveredar em seu rumo e aprumar seu futuro.
Pois apesar do que se sente, são duas estirpes de gente, não havia mesmo de ser coerente que continuassem a dançar para sempre.

Canto da Boca disse...

Certas lógicas me deixam sem chão ou céu, e sem havaianas. Às vezes não tem lógica nenhuma.

Abraço!

• c disse...

Da liberdade de ser o que é; ainda que o desconhecido seja a ausência mais presente.

Lara disse...

E benditos sejam os poetas malditos...
=)

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Suas palavras me fazem voar.
E sonânticas me convidam pra dançar. Hoje tem festa no céu. Vem?




Te beijo e te adoro!

yo! disse...

Mesmo em nossas supostas certezas, pro sim ou pro não, somos pegos de surpresa...então que realizemos nossos sonhos sem temer, sem dar um peso tão grande as palavras instituidas pela sociedade, pelo direito...que a gente possa viver, e curtir os ritos de passagem, as músicas e tudo mais planejando apenas ser feliz...porque isso sim devemos planejar sempre...
E falando em felicidade, o que eu desejo do fundo do meu coração pra você e pra Dé é isso...
FE-LI-CI-DA-DE!
Amo vocês!

Sil.. disse...

Tão eu esse texto...

Abraços!!!

Winny Trindade disse...

Obrigada pela visita.

Estou seguindo.

Adorei seu texto.

Abraços meus.