quarta-feira, 25 de novembro de 2009

42o Festial de Brasília do Cinema Brasileiro...

Salve salve pessoas.. andei sumido porque por cá eram tempos de Festival.. prazer sagrado de acompanhar jurado pra mãe, filme por filme, devidamente introjetado até a última imagem...
Esse ano houveram dificuldades extras, pois trabalhar à noite me obrigou a ir ao Festival na 2a sessão Às 23h, quase todos os dias.. ainda assim, gostei muito desse ano.. a seleção de filmes tava de 1a e achei que a premiação trabalhou dentro das espectativas...
Lembrando pra quem não sabe, que no festival são exibidos 2 curtas e um longa por noite...

4a - 18/11

Homem-bomba: Um curta sobre dois meninos que são sentinelas do tráfico. Dois garotinhos de arma na mão e deixando sair as traquinagens mesmo de arma na mão. Tem um tom melancólico e simbólico com a morte dos garotos. Tenta ser poético, mas acaba sendo meio blazê...

Os Amigos Bizarros do Ricardinho: Esse curta gaucho certamente foi a coisa mais engraçada do festival. Engraçado do verbo rolar de rir no chão. Ele apresenta essa figura.. exótica.. do Ricardinho.. um arte-finalista que conta histórias sobre seus amigos.. bizarros.. com a prima que o namorado morreu dançando com ela.. ou a tartaruga que fugiu de casa e depois voltou..

Filhos de João, Admirável Mundo novo Baiano: Documentário sobre os Novos Baianos. Genial. Os depoimentos sao ilários. Como me disse minha mãe: "Filme de maconheiro.. você vai adorar..". AS doideras.. a inflência do João Gilberto.. a sonoridade única.. realmente os hippies brasileiros.. rs

5a - 19/11

Bailão - Um pequeno documentário sobre uma casa noturno, tipo baile da 3a idade, só que para gays. Música brega, essas coisas.. não achei lá essas coisas...

Água Viva - Esse curta foi a coisa mais nada a ver que eu vi no festival. Trata de uma menina que vive reclusa com o pai, acaba sendo seduzida pelo cara que tá trabalhando na obra da casa dela e no fim pari uma água-viva.. simbólico? Filosófico? Pra mim.. só ruim mesmo.

Perdão, Mister Fiel - Esse documentário fala sobre a morte do operário comunista Manoel Fiel Filho nos porões da ditadura.. um dos estopins que learam à reabertura. Conta com depoimentos que vão do Lula ao FHC. As cenas de reconstituição são meio forçados, mas tem depoimentos estupendos como o do ex-funcionário do DOI-Codi...

6a - 20/11

Dias de Greve - História de alguns funcionários de um fundição passando as dificuldades de uma greve.. moradores de Ceilândia, além do aperto e dos conflitos internos, que os leva a ceder no final, ainda trabalham no barracão da escola de samba como soldadores, tendo uma pequena apoteóse no desfile. A escola, no entanto, pertence ao patrão.

Ave Maria ou Mãe dos Sertanejos - Sinjelo curta sobre as representações culturais e a importância de Maria no imaginário popular nordestino. Interessante e delicado.

Quebradeiras - Certamente o filme com a melhor fotografia do Festival. Além das imagens belíssimas, o filme vai ter submergindo na temporalidade cíclica das quebradeiras de babaçu. O filme explora poeticamente a linguagem de corpos, cantos e vivências, deixando o impacto das belezas naturais e a agrura cotidiana se misturarem.

Sábado - 21/11

Verdadeiro ou Falso - Como disse o próprio diretor: "um filme sobre amor e cinismo", muito engraçado e interessante. Um tanto dicotômico eu diria, mas certamente tem seu lado de verdade.. e de falsidade..

Recife Frio - Esse genial curta pernambucano trata de um hipotético fenômeno climático único que derruba a temperatura tropical de Recife. O impacto e as transformações na cultura local são mostrados pelas lentes de uma equepi de reportagem da Noruega se não me engano... muito legal.

O Homem Mau Dorme Bem - Uma espécie da faroeste caboclo no interior do MT. Nó vamos acompanhando a história entrecortada e conhecendo a história da amor de Rita e um palhaço de circo frustrado pelo avô da moça. Entre idas e vindas, a história culmina num tiroteio em um posto de gasolina, onde bandidos sao mortos, o mocinho se revela. Como eu disse, faroeste.. caboclo..

Domingo - 22/11

Carreto - Na minha modesta opinião, o curta mais tocante do festival. Ele conta a história de um menino que faz carretos (carrega coisas em um carrinho de mão). Chegando à casa de uma das mulheres pra quem carrega marisco, ele depara-se com uma menina acometida de paralisia infantil e vê a cadeira de rodas destruída. Encantado após receber um desenho da garota, ele sai atrás de concerto para a cadeira. Sem resultados. Ao voltar e levar um bronca, ele passa a carregá-la no carrinho de mão. Lindo.

A Noite por testemunha - Uma ficção baseada no caso do assassinato do índio Galdino em 1997. Pra quem nao lembra, foi o episódio em que 5 jovens de clasee média de Brasília incendiaram um índio em uma parada de ônibus, afinal de contas eles achavam que "era só um mendigo" e que "iam só dar um susto". Muito bem feito, não linear, culminando com a cena do ataque.

Proibido Fumar - O grande vencedor do Festival. A Glória Pires e Paulo Miklos dos Titãs tão ótimos de casalzinho quarentão e o filme tira boas risadas, além do roteiro bem amarrado. Fora que pra quem fuma é um colírio nesses tempos anti-tabagismo.. rs

2a - 23/11

Azul - Narra a história de uma mae que cruza o sertão todo dia para levar as cartas do filho sumido para uma amiga ler. Termina com a volta do sujeito, que antecede uma nova partida e uma nova carta.

Faço de Mim o Que Quero - Que é sobre a amplitude da música brega na cultura pernambucana. Confesso que não curti muito não.

A Falta que me Faz - O último loga falava da vida e sofrimento de quatro garotas no interior de Minas Gerais. Amores e complicações destes marcam a vivência das meninas. O documentario busca a delicadeza, mas jaz no insosso.

6 comentários:

Kduzito disse...

Também acompanhei o Festival de Cinema...e concordo com os seus comentários...

bom ... na verdade assisti só os filmes de Sábado, domingo e segunda ...
A abertura e a premiação...

Os curtas de sábado foram bons ! Gostei muito de Recife frio ... não foi a toa que ele arrebatou vários prêmios ...
O Homem Mau Dorme Bem ... já foi mais ou menos...

No Domingo também gostei muito de Carreto !
Já o filme sobre o assassinato do índio Galdino detestei !!!
O diretor quis mostrar os caras com um sentimento de culpa... completamente desnecessário e muito sem noção !!!

É proibido Fumar foi muito bom ...

Uma pena eu não ter visto o filme sobre os novos baianos.. falaram muito bem dele...

é isso aí ...até

Érica disse...

Esses incentivos à sétima arte são merecidos demais. Aqui tem o cinePE, todo ano eu acompanho com o maior prazer, os curtas, os longas, a premiação. Cinema, realmente, é tudo de bom.
Beijos

Lilianne Mirian' disse...

- Caralhooo que Massa
Poxa que invejjaa
Ah! como queria "participar" tb..
Aproveiitee

beiijo

Auíri Au disse...

Boa dica!
Só comprar a pipoca e curtir!
Abraço!!

renata disse...

cinema é sempre um mundo. sempre uma boa dica!

beijo.

Martinha disse...

Um evento bem interessante, pelo que me pareceu. ;)