quarta-feira, 22 de abril de 2009

Coisas Passadas ou Sobre mim...

Me divirto nos extremos. E não creio em nada "por natureza". Teimoso por minha própria parte, embora todas as minhas partes já tenham vindo partidas previamente. Tenho dois pulsos que me impulsionam além do previsto. Sempre contraditório e até nisto. Mas generoso por forte egoísmo. Choro e amo em um descompasso independente do valseio. Vivo a lilberdade mesmo preso e me prendo mesmo livre, e me livro mesmo liberto e me liberto mesmo.. mesmo. Escrevo.. verborragia pura impura adjetivando colisões. Meu mundo é azul na maior parte. Mas as paisagens são inconstantes e verdes. Não sou de brigas, mas sou de passar dos limites. Mudo a cada estação, falante. Tiro a alma para desabotoar as idéias. Gosto de animais. Gatos, cachorros e cavalos.. tigres e pandas. Tenho pena dos insetos. Odeio baratas. Odeio pombos. Adoro água. Água me falta mesmo sendo 75% feito dela. Faço natação, tomo banho de chuva, de mar, de rio, de cachoeira e onde mais ela te molhar. Eu sopro brisas nos cabelos. Tenho a cabeça no ar, asas no ar, pés no lar e fogo no par. Detesto som de buzina (devia ter limite: cada pessoa pode dar 3 por dia, daí não se gastava à toa), caos urbano, gente chata, gente reclamona.. mas adoro gente. Sou de muitos amigos. Abrigos que levo comigo quando persigo o perigo. Ostento minhas cicatrizes. Troco o dia pela noite sempre que posso. Quase nunca fico sem comer. Adoro comer, dormir e amar.. não necessariamente nessa mesma ordem. Gosto do silêncio.. mas gosto quando o ar vibra. Falo mais que demais. Adoro morder.. desde idéias até pescoços. Fumo maconha e quase nunca estou careta. Nunca tentei suicídio. Gosto de não morrer.. mas a morte é uma das minhas personagens predileta.
Dou valor ao que pousa diante dos meus olhos. Brasília não tem esquina. Me envolvo até quando não quero. Amo Chico, Rita Lee. Mas sou tributário maior de Raul, Bob, Floyd e outros mutantes. Sou descansado segundo meu pai. Adoro abraços. Conservo meus medos e os mantenho acesos.
Não gosto de mulheres de porcelana. Sou dependente de mulheres e homens. Troco pneu e velo sonhos nas noites frias e lambo suor nas noites quentes. Sou feminista. Sou amável, amante, amado e amigo. Tenho um lado sagrado, mas prefiro o profano.
Adoro errar.
A lisonje é toda minha...

15 comentários:

Larissa disse...

Continue chorando e amando nesse decompasso; escreva sempre, porque tens realmente o dom da palavra; tenha sempre a cabeça no ar e o resto onde mesmo está.

Salve, Jorge!
E não, a lisonje é toda MINHA! Haha

Senhora Loirinha Má disse...

Salve Jorge, do texto feito para a paráfrase, mas que me deixa muda a pena.

Que pena, tão longe braços.

Que pena, perder a cena das lágrimas e esse vício da humanidade.

Ah, meu caro, que pena!

Um abraço,

Descompassadamente,

LM®

Tremere disse...

gosto de não morrer tb.
ou morrer e resascer?
e usar o ser pra algo q preste, ou tentar ao menos.
pois quem nada tenta, nada consegue..

bem xulo, mas bem honesto(o comentário, claro).

. fina flor . disse...

também gosto do meu lado profano ;o)

beijos, querido

MM.

Ego. disse...

Seu sincericida, rsrs...
Prazer em conhecê-lo, novamente!

Bjus guerreiro!

Bárbara M.P. disse...

Vim deixar um beijo, rei. E o meu melhor pensamento para o teu pai.


Bárbara

Ju disse...

és belo, adoooooooooro!!
e salve nosso Jorge que hoje é dia dele!!!
beijos, BEIJOS!
:)

Fabi disse...

Achei e gostei... muito!
Coincidência, não?
Salve Jorge!
23/04/09

Tâmara disse...

Amo amo amo amo...esse texto!


Amo essa viagem através dos sentidos!!!

muiito muito e tanto!

Priscila Mondschein disse...

Lindo texto, Jorge! Só mais uma confirmação do quanto vc escreve bem... e do porquê vale a pena te seguir! ;)
Beijo!

Anja Rakas disse...

"Não gosto de mulheres de porcelana. Sou dependente de mulheres e homens. Troco pneu e velo sonhos nas noites frias e lambo suor nas noites quentes. Sou feminista. Sou amável, amante, amado e amigo. Tenho um lado sagrado, mas prefiro o profano.
Adoro errar.
A lisonje é toda minha..."

Sorrateiramente venho sempre aqui, ver este canto que me aquece em noites de luar...
E hoje descubro que és isso tudo e mto mais...rei e rainha...es uma mistura do que se quer ser e do que ja se foi...
Saudades...de um tempo indivisivel..de um tempo teu.

Bjs

Sr do Vale disse...

Salve, Salve Jorge.
Esse é meu camarada, tão feminista que troca até pneu, e nem usa colírio.

Um grande abraço parceiro de palavra e versos.

Cαmilα ♥ disse...

Que prazer te ler... seja em versos rimados ou não!

Um lisonjeio, para mim!

BeijOs meus

. fina flor . disse...

boa semana para você, moço!

beijos

MM.

Maria Muadiê disse...

lINDA APRESENTAÇÃO, jORGE.
vOCÊ ATÉ PARECE BAIANO ;)