quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Coisas passadas e novas ou Melhor post de Junho...

Salve pessoas.. valeu a todo mundo pelo apoio, preces, energias e tudo mais.. meu pai tá melhorando um pouco cada dia.. tá melhor do que o esperado até.. fala com muita dificuldade, um tanto confuso, mas até já deu uma caminhada no quarto hoje.. seguindo assim, 6a ou sábado ele tem alta e daí vai ser a luta da radioterapia.. de qualquer forma, valeu a força.. tô aproveitando pra dar uma passeada aqui e também deixar o melhor post de junho (feito no cilma do Dia dos Namorados..)
Boas energias procês.. beijos.. e inté...


Desentendimento ou De saida...


(Ele a olhou entrar com aquela arrogância de quem não deve nada a ninguém..)
- Boa noite.. (ele disse em tom de ofendido, vendo-a trazer os sapatos nos dedos da mão direita, um cigarro equilibrado nos lábios, a bolsa pendendo pra frente e as chaves na outra mão ainda junto à porta...)
- Ah.. oi.. você não devia fazer essas coisas.. eu posso me assustar algum dia.. parece um fantasma com essa cara pálida no meio do escuro.. (ela disse sorrindo desajeitadamente, tentando parecer ereta e equilibrada e fechando a porta. Isso, no entanto, provocou a queda de um dos sapatos.. ela sorriu mais largamente e se abaixou despudoradamente para pegá-lo.. ele olhou pras coxas dela e imaginou grandes roxos sob a meia-calça na penumbra.. imaginou o cheiro do suor misturado ao dela, ao tabaco e ao alcool..)
- Acho que não vai haver um dia! (ele disse tentando ser ríspido, mas sendo apenas seco..)
- Ãhn?! Ah.. bem.. (ela disse ficando ereta mais uma vez, sentindo uma tontura que pareceu mais importante que tudo até ali e tendo a impressão de sentir um cheiro..)
- Não está nada bem.
- Sim.. sim.. eu sei.. é que.. (ela apagou o cigarro contra as costas da porta numa quadratura já repleta de marcas negras pontuais..) .. desculpe.. eu limpo amanhã..
- Não precisa. (ele se levantou..) Eu tô indo embora..
- E pra onde você vai? (ela largou os sapatos no chão e tirou a bolsa com a outra mão..)
- Vou voltar pra casa.. de certo modo...
(Ela riu por dentro..) - Pra SUA casa? (mas seus lábios apenas tremeram..)
- De certo modo.. eu vou.. tenho de ir.. não posso mais ficar nesse lugar com você...
- Claro, claro.. (ela disse se permitindo sorrir, dando de ombros, enquanto ia para o banheiro..) Pobre de você.. tão puro e imaculado antes de ser estuprado pelos meus maus modos... (ela baixou a calcinha, deixando a porta aberta e sentou-se no vaso...)
- Você podia ter tido alguma consideração por..
- Pela sua imaculada perfeição? Pelo seu cabelo bem penteado? Pela porra do teu carro zero? Ou quem sabe, pelos filhas da puta dos seus papais... (as palavras dela mesclavam-se ao som da urina encontrando a água parada no fundo do vaso.. seguiu-se o som da descarga e o do rolo de papel higiênico que é puxado..)
- Pelo meu amor.. (ele murmurou indo em direção à porta antes de puxá-la..)
- Mas eu tive.. (ela disse vindo do banheiro..) Eu comi o seu amor.. mastiguei cada pedacinho.. me enfastiei dele.. dormi perguiçosamente a cesta.. depois vomitei como cachorra apenas para comê-lo de novo.. e depois o expeli nas minhas fezes, na minha urina e no meu suor.. (ela alcançou a bolsa e tirou dela o isqueiro e a carteira de cigarro..)
- Mas eu prefiria ser saboreado.. curtido.. (ele disse deixando correr uma lágrima solitária..) Eu queria que você me amasse e não que me devorasse..
- Ora, meu bem, pois vá tomar no cú você e seu amor de principezinho acastelado.. aqui é o mundo de verdade.. amor movido a combustível batizado e altamente poluente.. (ela soprou a fumaça satisfatória da primeira tragada..)
- Você precisa dessas metáforas ridículas.. (foi o rancor que falou por ele..)
- Por que não? Não tenho medo de fazer comparações..
- Claro.. você e sua sábia experiência.. suas podres experiências..
- Pois é.. mas você bem que gostou.. (ela disse sorrindo com malicia, batendo a cinza no chão e voltando a tragar com um brilho felino nos olhos..)
- Eu.. eu.. eu estava.. intoxicado..
- Claro.. claro.. "é sempre mais fácil achar que a culpa é do outro..".. ou melhor.. é sempre mais fácil achar que a culpa não é nossa...
- Eu fiz tudo que eu podia.. enquanto você..
- Não, queridinho. Eu SEMPRE faço tudo que posso.. você, por outro lado, começou a parar de fazer por só se preocupar com o que eu faço..
(Ele preferiu virar-se mudo, xingando-a apenas com os olhos, enquanto passava pela porta.. mas à frente ele viu a moça a quem tinha pedido que aguardasse. Ela era quase imperceptível nas sombras.. parecia fazer parte delas.. ela sorriu pra ele..) - Pronto?
- Sim.. (ele disse tentando esquecer o que se passara.. pensou com otimismo no que o aguardava.. Em outra direção, alguns passos para trás, uma mulher entrava no próprio quarto e encontrava o cadáver com uma bala nas idéias e os miolos vermelhos de forma impressionista estampados na parede...)

12 comentários:

Tata disse...

Não sabia do seu papai. Que Deus o ilumine, viu? O cubra de bençãos e que as preces dos amigos sirvam como bálsamo nos corações de vocês. Que bom que ele está melhorando.

Beijo Jorge.

Marcos Satoru Kawanami disse...

Cara, textículo mó descolado, meu! Pelo estilo, linguagem, enredo intrigante.
Avante, camarada.

paz e bem
Marcos

ER Representações disse...

Excelente texto.
Melhoras ao teu pai.
Abraço, Flávia.

~PakKaramu~ disse...

Visiting you

Camila disse...

Oh querido, eu não sabia do seu pai mas desde já torço para que ele fique ótimo rapidinho, viu?!
Eu estava desconectada desde o ano passado, mas voltei esta semana...
Saudade de te ler.
AO voltar dei de cara com essa maravilha! Você sempre se superando.
Um beijo enorme e muita energia boa pra você e teu pai!
Fiquem bem

Martinha disse...

Que bom saber que o teu pai está no bom caminho para a recuperação! :)
Sobre o texto... parecem-me duas pessoas diferentes, que vêem o mundo e o amor de perspectivas totalmente opostas, a tal ponto de serem incompatíveis!
Gostei Jorge... ;)

Fernanda disse...

fico aqui feliz demais sabendo que teu pai tá melhorando=)

Márcia(clarinha) disse...

Agora é torcer pela recuperação...que será rápida.
Fico na oração.

bons dias,
beijos

Maria Muadiê disse...

Jorge, fico contente com as boas novas.
Continuo na torcida.
Sorte, moço.

Fi disse...

Respiro suspenso
Divagando no imenso
Que sua arte tem para oferecer
A capacidade de surpreender
Superar a expectativa
De quem lê sua narrativa
É um delicioso divagar
Pela loucura do teu prosar
Eu vejo e sinto
Tão real que até minto
Que vejo sua história
Em lugar de glória
Nos camarins de sua imaginação
Que exalam paixão
De tanto gostar de ler
O que tens para oferecer

Bjs gds e melhoras do teu pai

TOOP disse...

"Pelo meu maus modos"

Inté

Anja Rakas disse...

Meu rei...
Meu rei...
Meu rei...
Meu rei...
Meu rei...


beijo