segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Eu e minhas páginas em branco ou Vermelho...

Eram realmente muitas páginas, ele pensou olhando aquela brancura vasta e imaculada. Lembrou-se de quando rolou nas colinas cobertas de neve nos vinhedos de Assis. Lembrou-se da igreja que fora destruída pelo terremoto. Ele era sempre isso.. páginas em branco e memórias desbotando. Olhou as horas no relógio, mais para desviar o olhar da brancura do que por se preocupar efetivamente com a passagem do tempo. Suspirou, enquanto ela entrava fazendo o ar parar.
- E então?
- Nada...
- Quer um cigarro?
- Já fumei oito.
- Sabe o que dizem...
- Nove pra dar sorte?
- Noves fora zero.
- Quem diz isso?
- Meu avô.
Ele resignou-se, pois se vinha de um avô, alguma sabedoria devia ter aquilo. - Certo. E seu avô fumava muitos cigarros e escrevia muitos livros, eu suponho.
- Não. Mas assim como você, ele contava histórias.
- Mas é muito mais fácil quando se está só entretendo uma criança e não ganhando o pão nosso de cada dia.

- Se você diz.. - ela disse parando para acender o cigarro, protegendo a chama com a mão em concha e mudando a perspectiva do assunto. - Eu sempre adorei as histórias dele. - soprou a fumaça como se isso fosse um argumento. - Elas sempre me faziam pensar que tinha mais coisa que eu queria saber.
- As boas hstórias são assim.. - ele disse aquilo sem se importar nem um pouco, enquanto tilintava o indicador na tecla tão indiferente quanto ele. - Eu queria ter uma boa história pra contar...
- Por que você não conta sobre a vez em que matou o dragão? - soprou a fumaça que formava uma densa névoa ao redor dela, como se o ar fosse a página daquela personagem.
- Eu não mato dragões... - ele disse abanando a fumaça.
- Bom.. então você pode falar sobre quando fez a lua descer no lago só pra me provar que ela não era de queijo.. e que não tem nenhum coelho estampado nela.. - ela soprou a fumaça pelas narinas, enquanto apoiava o cotovelo fumante numa palma de mão, de forma aristocraticamente ereta, tornando a névoa rebuscadamente vermelha, como um manto ou um par de asas cor de sangue.
Ele riu achando uma graça boba dela.. - Ninguém quer saber das nossas intimidades.. isso só tem graça pra nós dois...
- E não é um bom começo?
- Sou horrível com começos..
- Querido. Não importa o que você conta.. é como você conta, que conta. - a brasa incadecente quebrou o silêncio fumegando possibilidades, alaranjada no mundo vermelho-neon como um bordel de beira de estrada.
O dedo dele apertou um "S".. depois um "e".. - Mas falta a matéria prima... - "espaço"...
- Ela nunca falta. Ela só sobra. Ela afoga. Ela queima. Ela teima. Ela assoma. Ela roga. Ela droga. Entorpece. Agora.. - e tomou o indicador dele colocando no umbigo dela.. - Faltam olhares e explosões incandecentes de lava... - ela sentou no colo dele recolhendo as asas e deixando o mundo dele abafado sob sua cascata flamejante. O dedo subira do umbigo para os despautérios dela. - Tenho uma matéria prima pra você... - e riu diabolicamente...
- Eu conheço essa história - ele sorriu com ironia esquecendo de ser gaivota num céu azul, como se isso pudesse defendê-lo.
- Ah... mas eu nunca te contei ela desse jeito...

18 comentários:

Tata disse...

Que lindo, Jorge. Li aqui que nem percebi passar.

Gosteifoimuito.


Beijoca.

Lígia Carvalho disse...

Tu é dinâmico hein homem!
Tu vai de um extremo ao outro e seus textos SEMPRE me surpreendem, talvez por não ter nada de semelhante um com o outro, talvez pelas histórias serem tão diferentes ou pelo modo como conta, afinal é isso que conta, não!?

Patrícia disse...

Ola Jorge...
Realmente ninguém esta conseguindo entrar no meu blog, pois deixei restrito por um tempo! Minha vida anda muito corrida não estou conseguindo postar!
Mas prometo que logo tudo voltara ao normal!
Só pra variar adorei o texto!!! rs
Sempre que me sobra um tempinho o teu blog é um dos que visito... Adoro sua maneira de escrever!

Obrigado pelo carinho
Beijos

B.I.A.N.C.A Feijó disse...

Mesmo que o vermelho cause dor de olhar em cima do azul, eu tive que ler até o final...rsrs

Esse pede um bis...

Salve simpatia!

B.E.I.J.O.S

Gabriele Fidalgo disse...

Caramba! Achei incrível!
Os diálogos, a ousadia e os pontos.

Certamente deu para ver a cena toda acontecendo

Adorei!

beijo.

Martinha disse...

«- Querido. Não importa o que você conta.. é como você conta, que conta.»

Muitas vezes é a maneira como relatamos os nossos factos que nos faz sentir autênticas páginas em branco. Se nos sentimos vazios, sem nada para agarrar, as nossas palavras saem mais secas e sem cor.

Beijo *

Lara disse...

É incrível como seus textos prendem a atenção. Adorei.

PS: Não sei se é bug do meu pc mas o fundo azul com a letra vermelha deixou o texto um pouco embaçado. Mas com texto bom como o seu isso não é problema.

Bju! Boa noite!

•.¸¸.ஐBruneLLa Wyvern disse...

Comecei a ler o texto e fui embarcando na viagem, me deixei levar... Qdo terminou, meu desejo era para continuar!

Beijos e borboleteios

Mah disse...

me deu uma certa aflição sabia?

Tata disse...

Seus comentários são os meus preferidos.

:)

Anja Rakas disse...

Jorge...
fazes com que me vidre no monitor...depois começo a usar oculos hhehhe
Ta .... "- Ah... mas eu nunca te contei ela desse jeito..." - divinal
Bj vermelho ou branco

Flor de Lotus disse...

Toda vez que venho ler seus textos saio absolutamente em extâse, a poesia dos sons das palavras, das idéias pulsantes, novas e loucamente delicadas dessa tua mente que inova sempre...
Grande abraço, querido Jorge.
Gláucia

Leonardo Hoffman disse...

Me senti diante uma tela em projeção lendo o texto.

Já passeio a um tempo pelo seu blog.Acho muito foda.

Abraço

Paradoxos disse...

muito bem amigo Jorge!!

abraços

Tâmara disse...

Humm...
Viu so como dedos e intimidades dão vida á paginas em branco?

Eu nunca duvidei disso!
(risos)

- Me de um trago do seu cigarro?
- Hã
- Uai..continue fumando o seu!
- Não!
- Porque?
- È que o seu tem gosto meu!

E sigo com The Doors in Light my Fire...Deixando o ár embaçado...
as paginas em branco, agora transpordando com mais uma certeza!

E EM VERDADE VOS DIGO:
O MUNDO TRAGA NO MEU UMBIGO!

EGO
EU?
ISTA
EU?
EGOISTA....
hahah...
magina!

Ta dito e escrito!
Um abracinho ei, Amizade!

Patrícia disse...

Querido apenas passando para dizer que voltei!!!
Tava com saudade de tudo isso!!!
Beijos

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!


Ai branco puro e vermelho paixão...

Fumando um cigarro li e reli as tuas páginas mais de nove vezes;)


beijosssssssss

Jaqueline Lima disse...

Lindo, lindo em azul e rubro.

Saudade das tuas visões, apareça por lá.

Beijos.