terça-feira, 13 de março de 2007

À quem faz falta...

Aos que vivem nas minhas pegadas
Alicerces primordiais de minha caminhada
Vocês que me deram tanto, sem esperar nada
Cantando comigo pela jornada

Glorifico cada momento
Em que estiveram comigo
Enquanto esmero-me em não perdê-los para o tempo
Dobro-o com afinco
Busco-os em meus pensamentos
Nós abraçados sob um firmamento
Pinkfloydiando por aí...

Sejam piscianas loucas, unívocas de tão magníficas
Ou um simples baixinho, companheiro por todo e qualquer espaço
Mesmo que já não sejam o que foram
Ainda abraço o que são, lhes esbofeteando qualquer autoridade
Sobrevivi convosco a tanto horror, iniqüidade
Que poderia tudo explodir
Mas sei que lá nas entranhas
Temos apenas 19 anos, a nos embriagar por aí...

Ainda me visto de saudade
E corro contra a estrutura
Cioso de vossas presenças
E com esperanças futuras
Que se não há o que foi.. é pelo que foi que há..
A caminhada sempre segue
Mas é bom tê-los imaginários comigo
Reconfortam meu abrigo
Acampados em minha mente

Louvados sejam, Deuses de minha mutação
Se não criadores de meu universo
Responsáveis pelo seu sabor instigante
E, mesmo quando distante, meus incansávei campeões
Que vendamos havaianas na China
Ou simplesmente bebamos a vida
Com essa amizade de fina maestria....

2 comentários:

Jessica disse...

salve salve rei jorge..sempre com as mais inefaveis palavras...

legal esse seo beco ake...

god vibs adolavel..
saudades..
ate algum dia!!
bjs
sua fã-amiga dona jex pellison

Anônimo disse...

Por que nao:)